Violência no Rio

MP denuncia 2 traficantes pela morte do bebê Arthur, atingido por disparo no útero da mãe

Do UOL, no Rio

  • Reprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou nesta quarta-feira (4) dois traficantes acusados de terem realizado os disparos que atingiram o bebê Arthur, ainda na barriga de sua mãe, no fim de junho. No nono mês de gestação, Claudineia dos Santos Melo, 28, estava chegando em casa, na Favela do Lixão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, quando se viu em meio a um fogo cruzado entre traficantes e policiais na entrada da comunidade.

O tiro que atingiu a grávida entrou pelo lado esquerdo de seu quadril. A bala perfurou seu útero e atravessou o corpo de Arthur. Ela foi submetida a uma cesariana de emergência, mas Arthur não resistiu aos ferimentos e morreu poucos dias depois.

De acordo com a denúncia, ao atirar contra os policiais, Romário Conceição da Silva, conhecido como Pirulito, atingiu Claudineia e o bebê, sendo o responsável pela posterior morte de Arthur. Ele também foi denunciado pelo crime de aborto provocado por terceiros sem o consentimento da gestante, por dolo eventual.

Já Charles Jackson Neres Batista, conhecido como Charlinho do Lixão, é apontado na denúncia como o chefe do tráfico na comunidade e o responsável por ordenar que seus homens atirassem contra a polícia, causando a morte.

Durante a reconstituição do crime, investigadores da Polícia Civil chegaram à conclusão de que Claudineia estava no campo de visão de Pirulito, que teria assumido o risco de matá-la ao atirar. De acordo com a polícia, os PMs que atendiam a ocorrência não chegaram a disparar contra a grávida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos