Bombeiro que queria atacar Congresso com caminhão tem prisão preventiva decretada

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/PM-DF

    03.dez.2017 - Caminhão furtado por sargento do Corpo de Bombeiros no DF

    03.dez.2017 - Caminhão furtado por sargento do Corpo de Bombeiros no DF

A Justiça do Distrito Federal decretou a prisão preventiva de um bombeiro que roubou um caminhão do Corpo de Bombeiros e tentou lançar o veículo contra o edifício do Congresso Nacional, em Brasília, no domingo (3).

O  2º sargento Fabrício Marcos de Araújo, 44,  foi interceptado por policiais militares e detido antes de concluir seu plano na madrugada de domingo. Sua prisão preventiva, que pode durar 30 dias, foi decretada pelo juiz Alessandro Marchió Bezerra durante audiência também no domingo.

De acordo com a decisão judicial, a defesa do sargento apresentou um relatório psicológico afirmando que ele não tinha como responder temporariamente por seus atos. O juiz entendeu que "para garantia da ordem pública" não era possível que ele ficasse em liberdade, pois havia o risco de que tentasse repetir o caso.

O sargento furtou o caminhão em Ceilândia Norte e, em alta velocidade, chegou até a Esplanada dos Ministérios, a uma distância de quase 30 quilômetros. Na Esplanada, ele foi perseguido por policiais militares.

Vídeo mostra policiais atirando em pneus do caminhão

Durante a perseguição, próximo do Ministério do Planejamento, os policiais atiraram contra três pneus do caminhão que só então parou, segundo a Secretaria da Segurança Pública. Para o juiz Bezerra, o sargento colocou a vida de terceiros em risco ao querer jogar o veículo contra o Congresso e dirigir em alta velocidade. 

Após a detenção em flagrante, o sargento foi encaminhado a um quartel do Corpo de Bombeiros, onde recebeu voz de prisão por quatro crimes: furto qualificado, desobediência, danos ao material da administração militar e tentativa de dano. A Justiça não entendeu o ato como terrorismo.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública do DF informou que ele está detido no 19º Batalhão da Polícia Militar, presídio militar localizado no Complexo Penitenciário da Papuda. O Corpo de Bombeiros disse que uma equipe multidisciplinar da corporação, composta por médicos, psicólogos e religiosos, está acompanhando o militar e prestando apoio aos familiares.

A defesa do sargento não foi encontrada até a publicação desta reportagem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos