PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PUC-Rio cria comissão para investigar denúncias de racismo durante jogos jurídicos

Estudante mostra casca de banana jogada durante partida  - Jogos sem Racismo/Divulgação
Estudante mostra casca de banana jogada durante partida Imagem: Jogos sem Racismo/Divulgação

Lola Ferreira

Colaboração para o UOL, no Rio

04/06/2018 17h15Atualizada em 04/06/2018 17h15

A Pontifícia Universidade Católica do Rio decidiu nesta segunda-feira (4) criar uma comissão disciplinar para investigar denúncias de racismo contra parte de seus alunos durante os Jogos Jurídicos do Rio, campeonato estudantil que ocorreu neste final de semana em Petrópolis (RJ). A Polícia Civil informou que a delegacia de Petrópolis (105ª DP) já investiga o caso.

Devido às acusações, o campeonato terminou neste domingo (3) sem definir um campeão. Além de perder o título deste ano, a universidade particular foi suspensa dos Jogos Jurídicos de 2019.

A decisão foi proposta por uma organização de estudantes negros e acatada pela Liga Jurídica Estadual após denúncia feita por alunos da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e da UFF (Universidade Federal Fluminense). Nesta segunda, denúncias viralizaram nas redes sociais.

Segundo o diretor do Departamento de Direito da PUC-Rio, Francisco de Guimaraens, caso as denúncias sejam confirmadas, haverá responsabilização dos envolvidos. Guimaraens não esclarece, entretanto, quais são as punições previstas.

A estudante Raiza Uzeda, que estuda na UERJ e faz parte da entidade Jogos sem Racismo, afirma que os estudantes vão registrar Boletim de Ocorrência ainda esta semana contra os envolvidos.

“Todos os anos acontecem casos de racismo, machismo e homofobia. Criamos a campanha [Jogos sem Racismo] para tentar reprimir esses atos, mas este ano foram cometidos crimes absurdos. Isso não pode parar por aqui”, afirma Uzeda.

A entidade afirma que na sexta um estudante da PUC-RJ jogou uma casca de banana contra um estudante de basquete da UCP (Universidade Católica de Petrópolis). A multa imposta pela Liga Jurídica pelo caso foi de R$ 500, e o estudante da UCP não pretende prestar queixa na Polícia Civil.

No domingo, dia das finais, a entidade relata que membros da delegação da PUC-Rio imitaram macacos em direção a estudantes da UERJ. No mesmo dia, estudantes da instituição teriam xingado uma atleta da UFF de “macaca”.

Diante da quantidade de denúncias, estudantes organizaram um ato contra estudantes da PUC-Rio e os expulsaram de um ginásio aos gritos de “racistas”.

A Liga Jurídica Estadual do Rio se comprometeu a, ao longo deste ano, criar canais de contato com coletivos de estudantes negros para que episódios similares não voltem a acontecer. A Atlética de Direito da PUC-Rio não respondeu aos contatos feitos pela reportagem.

Cotidiano