PUBLICIDADE
Topo

Polícia detém a 'xodó do tráfico' na zona sul do Rio de Janeiro

De costas de camiseta vermelha, a "xódó" do tráfico. Os demais também foram apreendidos pela PM - Cotidiano
De costas de camiseta vermelha, a 'xódó' do tráfico. Os demais também foram apreendidos pela PM Imagem: Cotidiano

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

12/07/2019 17h30

Uma operação da Polícia Civil do Rio de Janeiro na comunidade dos Tabajaras, em Copacabana, terminou na última quarta (10) com prisão e detenção de seis jovens, entre eles, uma garota de 17 anos conhecida como "xodó tráfico".

A "xodó", diz a polícia, tem ficha criminal extensa e é suspeita de ocupar posição de destaque na hierarquia do tráfico da comunidade e fazer a segurança dos chefes.

"Ela usa fuzis, tem fotos divulgadas na internet usando armas e muitos traficantes se orgulham disso. É uma mulher de confiança das lideranças (...) é uma mascote com atitude. É uma traficante conhecida e respeita pelos criminosos. Ela se orgulha de atirar nos policiais", diz a delegada Valéria Aragão.

A "xodó" já tinha anotações por atos infracionais considerados gravíssimos, como roubo qualificado, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, resistência, incêndio e motim de presos. Essa última ocorrência, segundo a delegada, indica o quanto a menina é influente.

"Em poucas vezes nos meus 18 anos na polícia vi essa ocorrência. Isso demonstra que ela é uma pessoa agressiva, pessoa de hierarquia para insuflar os demais contra o sistema", afirmou Valéria.

"Aqui mesmo, na delegacia, nas horas que permaneceu, ela manteve sua hierarquia. Os outros cinco mais velhos ficavam preocupados com ela, se ela tinha recebido a refeição, se estava com frio e ela estava sozinha em outra cela por ser menina."

Outros presos

A ação também localizou uma casa que servia para armazenar e embalar drogas, com adultos e menores de idade - recrutados de outras comunidades pelos traficantes do Tabajaras, segundo a polícia.

Foram apreendidos os adolescentes G. C., também apelidada como "Menor G", e J. V. L. M., com 17 anos.

Os envolvidos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.

No imóvel foram aprendidos 84 papelotes contendo cocaína, centenas de cápsulas para o acondicionar a droga, duas balanças de precisão, um porta-carregador de pistola, um carregador portátil para rádios de comunicação, diversas etiquetas impressas ostentando valores nominais de "R$ 5,20" e "R$ 50,00" e duas pedaleiras de bicicletas usadas para fazer bombas.

Cotidiano