Topo

Comida estragada em festa leva ao menos 150 pessoas para hospital em MG

Pessoas são atendidas após passarem mal ao comer farofa em festa em Sabinópolis (MG) - Divulgação/Hospital São Sebastião
Pessoas são atendidas após passarem mal ao comer farofa em festa em Sabinópolis (MG) Imagem: Divulgação/Hospital São Sebastião

Daniel Leite

Colaboração para o UOL, em Juiz de Fora (MG)

22/09/2019 19h15

Pelo menos 150 pessoas passaram mal durante uma festa de aniversário realizada na madrugada de hoje em Sabinópolis (MG). A suspeita é que elas teriam passado mal após comerem uma farofa que estaria estragada. Crianças, adultos e idosos precisaram de atendimento médico por apresentarem vômito e diarreia.

O hospital São Sebastião informou que atendeu 115 pessoas e outras 35 foram levadas para a cidade de Guanhães, que fica próxima de Sabinópolis. A movimentação no hospital São Sebastião foi tão grande que a Polícia Militar (PM) teve de ajudar na organização do trânsito.

De acordo com as vítimas, a festa onde foi servida a farofa comemorava o aniversário de três pessoas na residência de um casal. "Todo mundo que comeu da farofa passou mal, todo mundo, não tinha um que comeu e não passou mal", explicou a dona de casa Graciane Santos, que estava com o marido e a filha de dois anos no local. Os três passaram mal, e a criança continua internada no hospital.

A farofa era feita de frango, cenoura, cebola e outros ingredientes e logo causou os efeitos nas pessoas presentes na festa. "A gente comeu, quando deu uns 10 minutos, só via gente correndo e vomitando. Não dava nem para explicar o que estava acontecendo", lembrou. De acordo com Graciane, os donos da festa também tiveram os mesmos sintomas.

Além da farofa, outros convidados da festa relataram que não comeram a farofa, mas que teriam passado mal ao provarem a linguiça e o pastel servidos no local. De acordo com esses relatos, os dois alimentos estavam misturados no mesmo recipiente da farofa.

Segundo a Polícia Militar, a refeição servida no jantar foi levada para a Vigilância Sanitária. A secretaria municipal de saúde vai analisar os laudos do quadro clínico dos pacientes atendidos após a festa para entender o motivo do problema.

Hospital está com estoques zerados após atendimentos

Devido ao movimento acima do normal, o hospital São Sebastião está sem estoques de 14 itens essenciais. Faltam cateteres, soro, vários tipos de medicamentos, luvas, álcool, água destilada e até papel higiênico.

Sabinópolis tem 15 mil habitantes, e a instituição de caridade pede doações de material e em dinheiro. "Não temos recurso, é um hospital filantrópico. A gente está com 14 itens zerados, precisamos de doação", disse a secretária do hospital, Giselda Chaves.

A conta do Banco do Brasil é 2007-9, agência 2557-7, em nome de Associação de Caridade São Sebastião.

Mais Cotidiano