PUBLICIDADE
Topo

'Perdi o amor da minha vida', diz irmão de jovem morta em acidente no Rio

Taisa, professora de educação fisica, foi uma das vítimas fatais do acidente no Rio de Janeiro - Reprodução/TV Globo
Taisa, professora de educação fisica, foi uma das vítimas fatais do acidente no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

09/12/2019 10h34Atualizada em 09/12/2019 11h36

O irmão de uma das vítimas fatais do acidente que deixou cinco mortos na manhã de ontem, no Rio, diz ter perdido "o amor da sua vida" na tragédia.

"Taisa é um ser humano incrível, não tem com descrever. Ela é minha princesa, é tudo o que eu tenho. Nunca tive um amor tão grande como tenho por ela. Ela é o amor da vida e eu perdi minha irmã hoje", disse Thiago Castro em entrevista ao Fantástico.

Taisa e outros sete jovens voltavam de um evento no Espaço Hall, antigo Barra Music, na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Todos estavam no mesmo carro.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o grupo estava em único carro voltando de uma festa quando o motorista perdeu o controle do veículo e colidiu contra um muro perto da saída da 2 da Linha Amarela, via expressa que liga as zonas norte e oeste da cidade.

Cinco pessoas morreram, entre elas o motorista do veículo, e outras três ficaram feridas.

"Todo mundo bêbado", diz sobrevivente

Uma das três sobreviventes do acidente disse ao Fantástico que todos os passageiros estavam bêbados, mas que insistiu com o namorado para não irem no veículo.

"Quando terminou a festa, tinha oito pessoas. Um estava com carro. Pedi para o meu namorado para a gente não ir de carro. Estava todo mundo bêbado", disse Thamires Carneiro.

Ainda segundo ela, o namorado não quis deixar o irmão, que estava no carro, e por isso, acabaram pegando a carona. O namorado e o cunhado da jovem morreram no acidente.

"Só que o menino, na curva, foi fazer graça. A gente falou para ele não acelerar. Ele acelerou o carro, virou na esquina, freou. Dois perderam a cabeça, o resto morreu, só sobramos eu e mais dois", completou Thamires.

Cotidiano