PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Cabo ofendido por suspeito de violência doméstica diz que ficou 'surpreso'

O policial tentou conversar com morador de Alphaville durante ocorrência - Reprodução / Redes Sociais
O policial tentou conversar com morador de Alphaville durante ocorrência Imagem: Reprodução / Redes Sociais

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 11h36

No último final de semana, uma denúncia de violência doméstica contra o empresário Ivan Storel acabou em confusão e humilhação de um policial militar em um condomínio de Alphaville, em Santana de Parnaíba. Envolvido na ocorrência, o cabo Edson se disse "surpreso" com o caso.

"A gente encontra diversas ocorrências, inclusive dessa forma, independente de onde esteja, mas para mim foi uma surpresa", contou o policial em entrevista ao "Encontro", de Fátima Bernardes.

Os policiais militares foram até a casa de Ivan Storel no último sábado (30) após uma denúncia de violência doméstica feita pela mulher do empresário. Em vídeo gravado pela própria polícia, é possível ver o homem de 49 anos gritando com os agentes.

"Você é um bosta. É um merda de um PM que ganha R$ 1 mil por mês, eu ganho R$ 300 mil por mês. Quero que você se fo**, seu lixo do cara***. Você não me conhece. Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville", disse o empresário em um trecho do vídeo.

O cabo contou que não sabe como o vídeo da abordagem chegou às redes sociais e teve tamanha repercussão.

Além da reação do empresário, também provocou revolta nas redes sociais a abordagem pacífica da polícia militar na operação em Alphaville, bairro de alto padrão na região metropolitana de São Paulo. Alguns internautas questionaram se, caso a ocorrência fosse na periferia, a atitude da PM seria a mesma.

Edson, que disse ter recebido muitas mensagens de apoio, rebateu as acusações. O policial disse que não há diferença de abordagem da Polícia Militar do Estado de São Paulo de acordo com a localidade.

"Cabe ressaltar que esse tipo de comportamento da Polícia Militar é normal. Eu tive a oportunidade na minha carreira de estar em uma equipe que trata da parte emocional, o quanto nós temos que treinar isso para dar atendimento ao cidadão. Isso acontece tanto em lugares de classe social elevada ou baixa. Quem me conhece sabe que eu sou assim independente do lugar", afirmou.

"Até então, ele estava me agredindo de forma verbal, mas em momento algum agrediu fisicamente a equipe. Ele não ultrapassou esse limite e a gente manteve o controle baseado no treinamento que a gente tem", acrescentou Edson.

Ivan Storel, de 49 anos, foi levado algemado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade, mas foi solto porque sua esposa não quis representar criminalmente contra ele naquele momento.

Cotidiano