PUBLICIDADE
Topo

Orca encalha em praia na Bahia, não reage aos cuidados e é sacrificada

Orca encalha em praia de Guarajuba, em Camaçari (BA) - Divulgação/Projeto Baleia Jubarte
Orca encalha em praia de Guarajuba, em Camaçari (BA) Imagem: Divulgação/Projeto Baleia Jubarte

Juliana Almirante

Colaboração para o UOL, em Salvador

02/08/2020 12h02

Uma orca fêmea que encalhou na tarde de ontem (1º) na praia de Guarajuba, em Camaçari (Bahia), não reagiu aos cuidados dos veterinários e precisou ser sacrificada.

De acordo com nota enviada ao UOL pela bióloga Larissa Pavanelli, do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA), a entidade foi acionada para a tentativa de resgate, que contou com apoio do Projeto Baleia Jubarte.

Equipes de veterinários e biólogos foram ao local e tentaram devolver o animal ao mar, mas ele encalhou de novo.


"Tratava-se de uma fêmea juvenil, medindo 3,7 m, severamente debilitada, pouco responsiva e em estado nutricional ruim, expelindo odor pútrido na expiração e episódios de vômito, indicando um indivíduo com quadro patológico e sem condições de sobrevivência no ambiente natural sem o devido tratamento", diz a nota do IMA.

Orca encalhada na praia de Guarajuba, em Camaçari (BA), recebe cuidados - Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) - Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA)
Orca encalhada na praia de Guarajuba, em Camaçari (BA), recebe cuidados
Imagem: Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA)

Os veterinários decidiram então remover o animal da praia para uma piscina, devido às condições ruins do mar, para que a orca recebesse suporte médico, passasse por exames para diagnóstico. Mas a operação acabou não acontecendo.

"Infelizmente a complexa operação de remoção foi impossibilitada pela condição geográfica do local de encalhe e a subida da maré, sendo cancelada. A orca foi medicada no local, recebeu fluidos e passou a madrugada sendo monitorada. Foi arrastada pela maré sem tentativa de reação, rolando diversas vezes sobre o próprio eixo, até o re-encalhe na manhã de hoje (2)", disse o IMA.

A equipe concluiu que o animal já estava em sofrimento prolongado, além de detectar luxação de nadadeira peitoral, o que inviabilizaria a soltura da orca no mar. Decidiu então pelo sacrifício da orca.

View this post on Instagram

Neste sábado, 01/08, fomos notificados do encalhe de um filhote de orca na Praia de Guarajuba, litoral norte da Bahia. Prontamente nos mobilizamos para atuar juntamente com nossos parceiros do Instituto Mamíferos Aquáticos - IMA. Infelizmente, apesar de todos os esforços, não foi possível salvar o filhote. No ano passado, no Sul da Bahia, pescadores fizeram outro registro de orcas, em comportamento de ataque a baleias-jubarte. É possível que elas frequentem a região para tentar predar sobre os filhotes recém-nascidos de jubartes. Leia a nota do IMA sobre o encalhe: "Na tarde de ontem (01/08), um cetáceo da espécie orca (Orcinus orca) encalhou na Praia de Guarajuba, município de Camaçari. Após tentativas de devolução pro mar e re-encalhe ainda mais desgastada, o Instituto Mamiferos Aquáticos e o Projeto Baleia Jubarte foram acionados e realizaram o atendimento em parceria, mobilizando equipes de veterinários e biólogos para o local. Tratava-se de uma fêmea juvenil, medindo 3,7m, severamente debilitada, pouco responsiva e em estado nutricional ruim, expelindo odor pútrido na expiração e episódios de vômito, indicando um indivíduo com quadro patológico e sem condições de sobrevivência no ambiente natural sem o devido tratamento. Os veterinários decidiram então remover o animal da praia para uma piscina, por conta das condições ruins do mar, para que o mesmo recebesse suporte médico e realização de exames para diagnóstico e posterior soltura. Com o apoio do Instituto do Meio Ambiente (INEMA-BA) e da Secretaria do Meio Ambiente de Camaçari, todo maquinário foi disponibilizado para o procedimento. Infelizmente a complexa operação de remoção foi impossibilitada pela condição geográfica do local de encalhe e a subida da maré, sendo cancelada. A orca foi medicada no local, recebeu fluidos, e passou a madrugada sendo monitorada, foi arrastada pela maré sem tentativa de reação, rolando diversas vezes sobre o próprio eixo, até o re-encalhe na manhã de hoje (02/08), possibilitando acesso da equipe para re-avaliação. Continua nos comentários...

A post shared by Projeto Baleia Jubarte (@projetobaleiajubarte) on

"Foi tomada a difícil decisão, pelo bem do animal, de abreviar o seu sofrimento, optando pela eutanásia humanitária, que foi realizada de forma ética e indolor, através da administração endovenosa de anestésicos", informou o instituto.

A carcaça da orca será removida do local para realização de necropsia e identificação da causa do encalhe.

Cotidiano