PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

PF: Operação apura crimes financeiros e sequestra apartamento de R$ 5,5 mi

Viatura da Polícia Federal; operação ocorre em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília -
Viatura da Polícia Federal; operação ocorre em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília

Do UOL, em São Paulo

26/11/2020 08h49

A Polícia Federal cumpre na manhã de hoje 13 mandados de busca e apreensão uma operação que apura crimes financeiros em uma instituição financeira que não teve o nome revelado.

De acordo com a PF, foi determinado o sequestro de valores que, somados, superam R$ 27 milhões. Entre estes bens está um apartamento no Rio de Janeiro avaliado em R$ 5,5 milhões.

Além da capital carioca, a Polícia Federal cumpre mandados em São Paulo e Brasília. A investigação contou com a participação da Receita Federal e do Ministério Público Federal.

Denominada Canal Seguro, a operação corresponde à 13ª fase da Operação Descarte, que teve início em 2018.

De acordo com a PF, as provas produzidas levaram a uma nova "organização criminosa dedicada à prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, especialmente gestão fraudulenta e desvio de valores de instituição financeira".

A Polícia Federal ainda diz que existe suspeita de crimes contra a ordem tributária e lavagem de ativos, "tendo como vítima uma corretora de seguros que detém exclusividade na venda de seguros anunciados por empresa pública federal".

A suspeita é de que, entre 2014 e 2016, três dos diretores da companhia desviaram valores que podem chegar a R$ 28.300.069,21 em atos de gestão fraudulenta. A PF cita transferências a título de pagamento por prestação de serviços, superfaturados ou que na verdade não foram realizados.

"Foi também determinada a suspensão do exercício da atividade de natureza econômica ou financeira pelos três diretores diretamente envolvidos nas fraudes investigadas", informa a PF.

Cotidiano