PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
11 meses

Suzane von Richthofen deixa prisão em "saidinha" de final de ano

Condenada a 39 anos de cadeia por ajudar na morte dos pais, em 2002, Suzane von Richthofen deixa prisão para "saidinha" de final de ano - Reprodução / TV Vanguarda
Condenada a 39 anos de cadeia por ajudar na morte dos pais, em 2002, Suzane von Richthofen deixa prisão para 'saidinha' de final de ano Imagem: Reprodução / TV Vanguarda

Do UOL, em São Paulo

22/12/2020 09h36Atualizada em 22/12/2020 10h57

Suzane von Richthofen deixou a Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, interior de São Paulo, na manhã de hoje para mais uma saída temporária de Natal e Ano Novo. A detenta foi presa em 2002 por matar os pais e ficará em liberdade até o dia 5 de janeiro.

Com máscara de proteção contra a covid-19, Suzane e outras detentas deixaram a unidade por volta das 8h15. A progressão do regime fechado para o semiaberto ocorreu em outubro de 2015 para o caso de Suzane, que teve a primeira "saidinha" em março de 2016, no período da Páscoa.

Devido à pandemia do coronavírus, essa será a única "saidinha" que os presos do regime semiaberto terão acesso neste ano. Em março o benefício da saída foi suspenso para evitar a contaminação pela covid-19. Em São Paulo, os detentos terão uma saída prolongada, com adição de 5 dias, totalizando 15 dias fora das penitenciárias, segundo a determinação do Deecrim (Departamento Estadual de Execuções Criminais).

Também tiveram acesso ao mesmo benefício da saída temporada Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabela Nardoni, e Elize Matsunaga, detida por matar e esquartejar o esposo Marcos Matsunaga.

Punida após ser flagrada em festa de casamento

A juíza Wania Regina da Cunha, da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, no interior de São Paulo, havia suspendido três saídas temporárias de Suzane von Richthofen em 2019, após a detenta participar de uma festa de casamento, no bairro Estoril. Na altura, a juíza entendeu que o ato foi uma falta grave.

Ficaram suspensas as saídas para a Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Pais, mas a plantonista Sueli Zeraik entendeu o contrário de Wania Cunha, e permitiu as saídas temporárias de Suzane.

O MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) entrou com recurso, mas o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) permitiu que Suzane tivesse o benefício da "saidinha".

No acordo do regime semiaberto, Suzane deveria permanecer no endereço informado para a saída, que seria a casa do namorado, localizada em Angatuba.

Cotidiano