PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Mulher recebe cocaína pelos Correios e é presa na BA; nota era de videogame

Remetente da droga era do estado do Acre - Polícia Federal/Divulgação
Remetente da droga era do estado do Acre Imagem: Polícia Federal/Divulgação

Juliana Almirante

Colaboração para o UOL, em Salvador

02/02/2021 16h51Atualizada em 02/02/2021 21h03

Uma encomenda remetida por meio dos Correios, com a nota fiscal de um videogame, levava 3 kg de cocaína e foi interceptada pela polícia na manhã de hoje em Feira de Santana (BA), cidade a cerca de 100 km de Salvador.

Em nota ao UOL, os Correios disseram que não divulgam detalhes sobre o que houve por ser um assunto relacionado à segurança e que, em casos assim, os órgãos responsáveis sempre são acionados.

O caso ocorreu no bairro Queimadinha, em ação conjunto das polícias Federal e Militar da Bahia. Segundo nota da PF, os policiais receberam uma denúncia sobre a possível chegada da encomenda e passaram a vigiar a casa.

Hoje, os policiais viram o veículo dos Correios se aproximando do local e realizando a entrega de uma caixa a uma mulher que estava na residência. Na abordagem, foram encontrados três tabletes da droga.

A mulher, de 30 anos, não teve o nome informado e foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico interestadual de drogas. Ela foi encaminhada para o Conjunto Penal de Feira de Santana. A encomenda tinha remetente do estado do Acre.

A polícia continuará a investigação, a fim de identificar o remetente e a possibilidade de envolvimento de outras pessoas no crime.

Correios se pronunciam

Em comunicado, os Correios informaram que, "por se tratar de assunto relacionado à segurança, os Correios não divulgam detalhes sobre o tema". A empresa afirmou que trabalha em parceria com os órgãos de segurança pública para prevenir o tráfico de itens proibidos, por meio do serviço postal.

"Os empregados atuam de forma diligente visando identificar postagens cujo conteúdo esteja em desacordo com a legislação. Quando algum objeto com conteúdo proibido ou ilícito é detectado, os Correios acionam os órgãos competentes. Muitas das operações de combate ao tráfico começam por meio do processo de fiscalização não-invasiva (raio-x) dos Correios", diz o comunicado.

Cotidiano