Conteúdo publicado há 5 meses

Vídeo: Mulher fica com a cabeça presa em catraca dupla de ônibus no Recife

Uma mulher ficou presa pela cabeça em uma catraca dupla de um ônibus no Recife (PE).

O que aconteceu:

A mulher ficou presa na catraca dupla de um coletivo da linha 604 (Alto do Burity/Macaxeira), da empresa Pedrosa, que circula na zona norte do Recife. O caso aconteceu na noite de quinta-feira (14).

Passageiros que estavam no ônibus gravaram a situação e compartilharam nas redes sociais. A mulher, que não foi identificada, aparece nas imagens com a cabeça presa, mas com o corpo já do outro lado da catraca.

O motorista do ônibus também aparece na gravação tentando ajudar a mulher. Não fica claro, porém, como a mulher conseguiu sair.

O Consórcio Recife informou que "está analisando as circunstâncias que podem ter levado à ocorrência". A empresa informou que vai avaliar as imagens das câmeras internas do veículo e dados do sistema de bilhetagem.

Este modelo de catraca está sendo testado em diversas linhas da cidade, segundo o Urbana-PE (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros em Pernambuco). A catraca dupla é formada por duas partes, uma embaixo, como os demais ônibus, e outra parte em cima.

O novo modelo de catraca tem sido testado em diversas linhas do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife como forma de combater os embarques irregulares que prejudicam a operação e comprometem o financiamento do serviço de transporte por ônibus. Os testes estão sendo realizados em conjunto com o Grande Recife Consórcio de Transporte e o novo modelo de catraca tem funcionado normalmente até o momento.
Urbana-PE, em nota

Equipamento será periciado

O CTM (Grande Recife Consórcio de Transportes) informou que "técnicos foram designados para periciar o equipamento". "A operadora também será instada a prestar os devidos esclarecimentos, visto que existe mais de um modelo de catraca, e precisamos saber se ocorre algum problema na sua utilização", diz a nota.

Continua após a publicidade

"Até o momento, o Consórcio não teve acesso a dados de contato da pessoa envolvida, o que permitirá prestar apoio, caso necessário. De antemão, nos solidarizamos e determinamos que todos os esforços sejam direcionados para solucionar o problema", encerra a nota do CTM.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes