Área próxima de mina que pode colapsar em Maceió é 100% evacuada

Todos os moradores que se encontravam na área de risco da mina da Braskem que pode colapsar, em Maceió, foram evacuados. A informação foi confirmada pela empresa hoje (2).

O que aconteceu

A Braskem informou que 23 imóveis que permaneciam dentro das áreas de risco estão desocupados. Os moradores foram removidos por determinação judicial.

A mineradora destacou que a área de resguardo no bairro do Mutange, cuja realocação preventiva foi iniciada em dezembro de 2019, também está desocupada.

A velocidade com que o solo tem afundado devido à mina da Braskem tem diminuído. A velocidade ficou em 0,7 cm/h, registrando um movimento de 11,8 centímetros nas últimas 24h.

Afundamento se concentra

Mais cedo, Defesa Civil de Maceió afirmou que houve um novo tremor de terra de magnitude 0,89. O sismo mantém o risco iminente do colapso.

Três sensores instalados na região chegaram a apresentar sinais de movimentação nas primeiras horas do dia e atualmente só um permanece apresentando tais sinais.

Os dados de monitoramento demonstram que a acomodação do solo segue concentrada na área da mina 18 e poderá se desenvolver de duas maneiras: um cenário é o de acomodação gradual até a estabilização, o outro é uma possível acomodação abrupta do solo.

Mina da Braskem

O deslocamento do subsolo da mina ocorre por causa da extração de sal-gema pela Braskem. O sal-gema é utilizado para produzir soda cáustica e PVC. A empresa atuava na região desde 1976 e encerrou a extração do minério em 2019.

Continua após a publicidade

Pelo menos 200 mil pessoas foram afetadas pelo desastre até hoje. Entenda como a extração causou o problema.

A Prefeitura de Maceió criou um canal no WhatsApp para atualizar a população sobre as condições da mina. O número é (82) 99949-9612.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes