Conteúdo publicado há 1 mês

Advogado e contadores teriam sonegado mais de R$ 250 mi em GO, diz polícia

Um grupo de empresários teria sonegado mais de R$ 250 milhões em impostos utilizando "laranjas" para ocultar os reais proprietários e patrimônio, segundo Operação Lumière, deflagrada pela Polícia Civil nesta terça-feira (27).

O que aconteceu

Entre os suspeitos estão um advogado e contadores. Os alvos da operação são os reais proprietários, os laranjas, além de gerentes das empresas de iluminação.

Foram cumpridos 5 mandados de prisão, informou ao UOL o delegado Alexandre Alvim. Os policiais continuam à procura do advogado e de outra pessoa.

A Polícia Civil também cumpriu 23 mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia, Trindade e Aparecida de Goiânia. Foram levados celulares, notebook, computadores e "muitos documentos", disse o delegado.

Essas empresas também faziam contratos com órgãos públicos, inclusive de outros estados. "Comercializavam material elétrico, de iluminação, e faziam contratos com órgãos públicos, principalmente prefeituras".

Existem indícios de envolvimento das empresas com a Operação Curto Circuito, deflagrada em 2013. A Polícia Civil acredita que a fraude continuou com a abertura de novas empresas envolvendo novos laranjas.

O UOL entrou em contato com a OAB-GO sobre a operação. Caso haja resposta, o texto será atualizado.

Deixe seu comentário

Só para assinantes