Conteúdo publicado há 1 mês

Mulher é presa suspeita de matar marido envenenado para receber pensão

Uma mulher de 53 anos foi presa por suspeita de envenenar o marido, de 66 anos, para que pudesse receber pensão no lugar dele, no Espírito Santo. O caso ocorreu no dia 19, mas as informações foram repassadas em entrevista coletiva nesta terça-feira (27).

O que aconteceu

Mulher usou veneno para matar marido e fugiu. Segundo a Polícia Civil do ES, a suspeita usou veneno de rato para matar o marido e tentou fugir de ônibus para Minas Gerais, mas foi encontrada e presa em flagrante. A prisão já foi convertida em preventiva. Ela negou as acusações à policia.

Autora teria pedido transferência de pensão para sua conta na semana anterior ao crime. A investigação revelou que, na semana anterior, a mulher teria pedido para que a pensão que o marido recebia pela morte da falecida esposa fosse depositada na sua conta. Além disso, a vítima possuía imóveis e recebia renda deles.

Vizinhos e filha da vítima dizem que mulher o agredia. O casal possuía uma relação "muito conturbada", disseram testemunhas à polícia. Segundo vizinhos e a filha da vítima, a mulher agredia o marido com frequência. A investigada nega todas as acusações.

Suspeita e vítima se conheceram quando o homem ainda era casado. Segundo a polícia, os dois viviam um relacionamento extraconjugal, quando o homem era casado com outra mulher. Após a morte da esposa da vítima, em novembro do ano passado, os dois passaram a viver juntos. A investigada teria trocado as fechaduras e o afastado da família.

Polícia ainda não tem certeza sobre qual veneno foi usado. Durante a entrevista coletiva, a perita Graziany Marques afirmou que a equipe dela trabalha neste caso com prioridade, mas que ainda não sabem exatamente qual substância foi usada para matar a vítima. Entretanto, afirma que foi "algo potente", pela rapidez do efeito.

Como a identidade da suspeita não foi divulgada, o UOL não conseguiu localizar a defesa em busca de posicionamento. O espaço segue aberto para manifestação.

Deixe seu comentário

Só para assinantes