Brasileira que simulou agressão na Suíça deverá deixar o país

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • Reprodução/Blog do Noblat

    Foto de fevereiro de 2009 mostra pernas da advogada brasileira Paula Oliveira, que afirmava ter sido atacada em Zurique (Suíça) por um grupo de skinheads

    Foto de fevereiro de 2009 mostra pernas da advogada brasileira Paula Oliveira, que afirmava ter sido atacada em Zurique (Suíça) por um grupo de skinheads

A brasileira que feriu a si mesma para simular uma agressão na Suíça deverá deixar o país até o final de março, depois que as autoridades locais negaram a renovação de seu visto de estadia, anunciou nesta quinta-feira (11) um escritório regional de migrações.

Paula Oliveira, 27, pediu renovação de sua permissão de estadia na Suíça depois de ter sido condenada, em dezembro passado, por denúncia falsa.

Segundo o escritório de migrações, citado pela agência suíça ATS, o pedido da brasileira foi recusado. Oliveira apelou da decisão.

A brasileira denunciou no ano passado ter sido vítima do ataque de três jovens skinheads, que teriam cortado sua barriga e suas pernas com uma faca. Por causa da violência, ela teria sofrido um aborto, segundo sua primeira versão da história.

Exames médicos posteriores demonstraram que Oliveria não estava grávida. Confrontada pela polícia suíça, acabou confessando que o ataque nunca ocorreu, e foi condenada por denúncia falsa.

*Com informações de agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos