PUBLICIDADE
Topo

TV nega que sobrinha de Fidel estivesse em avião que caiu no Mali

Do UOL, em São Paulo

24/07/2014 12h04Atualizada em 24/07/2014 13h49

A rede de TV Telesur negou que  Mariela Castro, sobrinha do ex-ditador cubano Fidel Castro, estivesse entre os passageiros do voo da Air Algérie que caiu no Mali nesta quinta-feira (24), ao contrário do que haviam afirmado autoridades aeroportuárias de Burkina Fasso.

Mariela, filha do dirigente cubano Raúl Castro, irmão de Fidel, está em Havana, disse o canal. "Estou vivinha", teria dito ela à TV.

 O voo AH5017 havia partido de Uagadugu, capital de Burkina Fasso, em direção a Argel, capital argelina, mas sumiu dos radares 50 minutos após a decolagem. Estavam a bordo do MD-83 110 passageiros e seis tripulantes.

Equipes francesas estacionadas no Mali localizaram os destroços do avião no meio do caminho entre as cidades de Gao e Kidal, uma zona desértica de acesso difícil.

"Os serviços de navegação aérea perderam o contato com um avião da Air Algérie que voava nesta quinta-feira de Uagadugu a Argel, 50 minutos após a decolagem", anunciou a companhia aérea, cujas informações foram divulgadas pela APS, agência estatal de notícias da Argélia.

Relembre os acidentes aéreos recentes

  • 07.mar.2014

    Voo da Malaysia Airlines rumo a Pequim desaparece com 239 pessoas a bordo

  • 17.jul.2014

    Avião também da Malaysia Airlines é abatido em zona separatista da Ucrânia

  • 23.jul.2014

    Avião da TransAsia cai em Taiwan durante pouso de emergência; 48 morrem

  • 24.jul.2014

    Avião da Air Algérie cai no Mali, no oeste da África, com 118 a bordo

A Swiftair, dona do avião, informou em nota que o avião partiu a 1h17 (22h17 em Brasília) e deveria ter pousado na Argélia às 5h10. A trajetória do voo AH5017 não estava imediatamente clara.

De acordo com o ministro dos Transportes de Burkina Fasso, Jean Bertin Ouedrago, o piloto do AH5017 pediu para mudar de rota à 1h38 por causa de uma tempestade. O avião enviou sua última mensagem por volta de 1h30, quando fez a solicitação ao controle aéreo de Níger, justificando que havia fortes chuvas na região.

Um diplomata em Bamaco (capital do Mali) afirmou que uma forte tempestade de areia atingiu o norte malinês, região que está na rota de voo do avião, durante a noite.

As autoridades argelinas informaram que seu último contato com o voo se deu a 1h55 quando o avião passava por Gao (Mali) e sumiu dos radares.

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/07/23/aviao-cai-em-taiwan-durante-pouso-de-emergencia-51-morrem.htm

Autoridades de aviação de Burkina Faso, Mali, Níger, Argélia e Espanha também participavam das buscas.

Burkina Faso fica ao sul da Argélia, e suas capitais estão distantes em uma linha quase reta passando pelo Mali --o norte do país enfrenta conflitos envolvendo islâmicos ligados à Al Qaeda e separatistas Tuareg.

O incidente é mais uma na sequência de ocorrências aéreas internacionais dos últimos dias. Na semana passada, um avião da Malaysia Airlines com 298 pessoas  (a maioria cidadãos da Holanda) caiu no leste da Ucrânia quando voava de Amsterdam (Holanda) para Kuala Lumpur (Malásia). O governo dos Estados Unidos acusa separatistas pró-Rússia que controlam a região de terem derrubado o Boeing  777 que fazia o voo MH17.

Na quarta (24), um avião da TransAsia Airways caiu nas ilhas Penghu, em Taiwan, com 58 pessoas (a maioria de Taiwan)–ao menos 48 morreram. O avião que fazia o voo GE222 tentava fazer um pouso de emergência quando caiu. Ainda não há confirmações sobre as causas do acidente, mas acredita-se que a passagem do tufão Matmo pela região tenha complicado as condições de tráfego aéreo. (Com agências internacionais)

Mapa mostra rota de avião da Air Algérie que desapareceu dos radares nesta quinta-feira (24) com 116 pessoas bordo quando ia de Burkina Fasso para a Argélia, no voo AH5017 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL
 

(Com agências internacionais)

Internacional