Lembrança do tremor de 1985 elevou tensão entre mexicanos: "Corram"

Do UOL, em São Paulo*

Um cenário de pânico e terror se observou na madrugada desta sexta-feira (8) no sul e na capital do México, após o registro de um forte terremoto, de 8,2 de magnitude, o maior em 100 anos, segundo as autoridades mexicanas. Com o epicentro em Chiapas, próximo à divisa com a Guatemala, os tremores duraram cerca de 90 segundos e afetaram cerca de 50 milhões de mexicanos. 

Pelas ruas da Cidade do México e de outros municípios do país, mexicanos mais velhos estavam entre os mais nervosos. É que tinham na lembrança o terremoto de proporção similar ocorrido em 19 de setembro de 1985, em que mais de 3 mil mexicanos morreram, conforme os dados oficiais (dados extraoficiais falam em 10 mil e em até 20 mil mortos à época).

"Corram, isto é um terremoto!", "Fiquem longe dos edifícios, eles vão cair!", "Os edifícios estão rachando!", foram algumas das manifestações ouvidas pelas ruas, segundo reportagem do jornal mexicano "El Universal".

Pedro Pardo/AFP
Ruas viraram abrigo na capital

Grande parte dos moradores abandonou suas casas, e famílias inteiras passaram a noite nas ruas, buscando abrigos mais seguros. Moradores se uniram, se consolaram e compartilharam alimentos.

Com os tremores, bairros inteiros ficaram sem luz, aumentando a apreensão da população.

O terremoto aconteceu às 23h49 locais de quinta-feira (7), à 1h49 desta sexta no horário de Brasília, nas proximidades da cidade de Tonalá, no Estado de Chiapas, a quase 100 km da costa e a uma profundidade de 19 km.

*Com agências internacionais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos