Brasileiros se "escondem" após atentado e relatam medo em Las Vegas: "cidade apagada"

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL

"A cidade se apagou em alguns minutos." É assim que Las Vegas ficou após o atentado que matou mais de 50 pessoas durante um festival de música country na noite do último domingo (1), de acordo com um brasileiro. Moradores e turistas relatam medo e desespero na cidade norte-americana, famosa pelo clima festivo.

Marlon Sens conta que estava em um hotel próximo ao show no momento em que os disparos foram feitos. "Ficamos vendo de longe, de cima da torre", relata o brasileiro ao UOL. Segundo ele, a princípio os funcionários do hotel não sabiam o que estava acontecendo. "A cidade, que é extremamente iluminada, se apagou em alguns minutos."

Reprodução/Facebook
Marlon Sens decidiu "se esconder" no hotel após ouvir os disparos

O turista decidiu "se esconder" no hotel após ouvir os disparos. Sens só deixou o quarto na manhã desta terça-feira, quando resolveu observar como a cidade está após o ataque.

Já o mineiro Gustavo estava na rua, a cerca de 500 metros do ocorrido. "Eu estava andando e ouvi uns estalos bem suaves, acompanhados, em seguida, de sirenes de polícia, vindo bem acelerados", conta o brasileiro ao UOL.

"Achei que era um helicóptero de trazendo alguém famoso no início."

Na cidade a turismo, ele só reparou que tinha algo errado quando as pessoas começaram a correr na rua em desespero. "Eu não entendia o que estava acontecendo", lembra Sens. "Foi uma sensação de incompreensão. Depois que os funcionários começaram a gritar, mandando entrar no hotel, que senti medo."

"Foi horrível, estão todos assustados", afirma Charles Mayer, gaúcho que mora na cidade americana há quatro meses. Em entrevista ao UOL, o estudante confirma que, depois do ocorrido, todos os cassinos e hotéis da cidade fecharam.

"Nós recebemos alertas da polícia nos celulares para não irmos para a [rua Las Vegas] Strip", conta Mayer.

Gustavo ainda não havia saído do hotel em que está hospedado, mas diz não estar mais com medo. "Vou voltar para o Brasil no tempo programado mesmo."

O maior ataque com arma de fogo em massa da história dos EUA

Com mais de 50 mortos, o atentado é o maior ataque armado em massa da história dos Estados Unidos, ultrapassando as 49 vítimas mortas no atentado a uma boate de Orlando no ano passado.

O atirador abriu fogo do 32º andar do Mandala Bay em direção ao público, antes de se suicidar, segundo a polícia. Ele foi identificado como Stephen Paddock, um homem de 64 anos de Mesquite (Nevada).

No quarto do hotel foram encontrados cerca de dez fuzis, segundo o chefe de polícia do condado de Clark, Joseph Lombardo. Ele estava hospedado no hotel desde a última quinta-feira (28).

A polícia ainda não sabe qual foi a motivação de Paddock para o crime. Ele morava em uma comunidade de aposentados em Mesquite (Nevada) e não tinha histórico policial de violência.

Em uma rede social, o grupo extremista muçulmano Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado, alegando que Paddock teria recentemente se convertido ao Islã. A informação não foi confirmada ou comentada pelas autoridades.

Cerca de 40 mil pessoas assistiam ao festival de música. No momento dos tiros, às 22h locais (2h de Brasília), o cantor Jason Aldean se apresentava. Testemunhas afirmaram que os tiros duraram mais de dez minutos, enquanto as pessoas corriam para se proteger.

O Ministério das Relações Exteriores e o Consulado do Brasil em Los Angeles informaram que, até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos