PUBLICIDADE
Topo

Japonês que viveu nu em uma ilha deserta por quase 30 anos é obrigado a voltar à civilização

Do UOL, em São Paulo

28/06/2018 10h05

Um homem que viveu solitário em uma ilha deserta por quase 30 anos foi retirado do local que por décadas chamou de casa. Seu sonho, morrer sozinho na ilha, não pôde ser realizado.

Doente, ele foi levado a um hospital em outra ilha e, ao se recuperar, foi proibido de voltar ao isolamento.

Masafumi Nagasaki chegou à ilha de Sotobanari, no arquipélago de Yaeyama, em Okinawa, no sul do Japão, em 1989. A ilha é um lugar tão isolado que nem mesmo os pescadores costumam ir ao local.

Leia mais:

Sem o incômodo de ninguém, Nagasaki passou desapercebido até 2012. Na época com 76 anos, ele foi descoberto pela mídia local e batizado de "o ermitão pelado".

Andar sem roupas não parece algo normal na sociedade, mas aqui na ilha é o correto, como se fosse um uniforme. De roupas, aqui, me sinto estranho"

Masafumi Nagasaki, em 2012, quando foi 'descoberto' pelo mundo.

Nagasaki é um dos eremitas - até onde se sabe - que mais tempo habitou uma ilha deserta no mundo, ultrapassando o australiano David Glasheen, que vive há 21 anos na ilha de Restoration. Quase sem roupas, ele enfrentou tufões e mosquitos durante o tempo em que morou na ilha.

"Encontrar um local para morrer é importante. Por isso, decidi que este é o meu lugar", disse certa vez.

Detalhes sobre a vida de Nagasaki são incertos. Suspeita-se que ele tenha sido casado e tenha dois filhos. Mas ele nunca gostou de falar de seu passado.

Nagasaki trabalhava em uma fábrica em Osaka, na ilha principal do arquipélago japonês, quando um colega contou sobre uma misteriosa ilha para onde sonhava ir um dia. Certa vez, em um voo, o japonês ficou horrorizado com a poluição que viu no mar e resolveu abandonar a vida na cidade.

Mesmo sem nenhuma experiência na natureza, Nagasaki pegou suas coisas e foi viver em Sotobanari. Ele imaginava que passaria uns dois anos no local, mas viveu por lá quase 30.

Na ilha, não faço o que as pessoas querem que eu faça. Só sigo as regras da natureza. Você não consegue dominar a natureza, por isso é preciso obedecê-la completamente"

Nagasaki chegou a usar roupas nos primeiros anos morando na ilha, mas um tufão que passou pelo local destruiu seus poucos pertences. A rotina do japonês na ilha era quase militar. Ele se exercitava pela manhã e depois limpava a praia.

Agora, aos 82 anos, Nagasaki teve de voltar à civilização devido à saúde fragilizada. Ele está vivendo em um abrigo público em Ishigaki, a 60 km da ilha para onde ele sonha voltar. (Com agências internacionais)