PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Desenho de gato com 37 metros e 2 mil anos é descoberto em deserto no Peru

Gato descansando: O geoglifo recentemente descoberto nas Linhas de Nazca, no Peru - Divulgação
Gato descansando: O geoglifo recentemente descoberto nas Linhas de Nazca, no Peru Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

19/10/2020 13h25

O desenho de um gato gigante em posição de descanso foi descoberto no deserto de Nazca, no Peru. A região, chamada de Linhas de Nazca e considerada como um patrimônio da humanidade pela Unesco, é conhecida por abrigar vários geoglifos (grandes desenhos feitos no solo) com mais de dois mil anos de idade.

Como um gato gigante passou tanto tempo escondido? É porque não havia de onde enxergá-lo. A imagem veio ao conhecimento do público por conta da construção de uma plataforma de observação na região, concedendo o ângulo necessário para que se observe a imagem.

Em nota oficial, o ministro da Cultura do Peru, Alejandro Neyra, afirmou que "a figura estava pouco visível e prestes a desaparecer, porque se encontra em uma íngreme elevação que é propícia aos efeitos da erosão natural".

Cientistas acreditam que o desenho foi feito de forma simples: por meio de depressões na terra que expõem uma coloração diferente de camadas inferiores. Por conta disso, a erosão seria mesmo fatal à arte. Entretanto, Neyra afirmou que o geóglifo foi limpo e restaurado.

À agência de notícias Efe, o arqueólogo-chefe da Linhas de Nazca afirmou que o gato é ainda mais antigo que a própria cultura Nazca, situada historicamente entre os anos 200 e 700, d.C. A imagem é, na realidade, do fim da era dos Paracas, entre 500 a.C. e 200 d.C.

Internacional