PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

13 pacientes com covid-19 morrem em incêndio em hospital na Índia

Paciente com covid-19 é evacuado após um incêndio atingir a UTI do hospital Vijay Vallabh, em Mumbai, na Índia - REUTERS/Francis Mascarenhas
Paciente com covid-19 é evacuado após um incêndio atingir a UTI do hospital Vijay Vallabh, em Mumbai, na Índia Imagem: REUTERS/Francis Mascarenhas

Do UOL, em São Paulo

23/04/2021 08h42

Treze pacientes de covid-19 morreram no incêndio em um hospital nos arredores de Mumbai hoje. O fogo, já controlado, atingiu a ala de UTI do hospital Vijay Vallabh, localizado a cerca de 70 quilômetros da cidade. A investigação sobre a origem do incêndio aponta para uma provável explosão no sistema de ventilação.

"Havia 17 pacientes lá dentro quando o incêndio começou na unidade de terapia intensiva do hospital Vijay Vallabh, dos quais 13 morreram e outros quatro foram transferidos para outras unidades", relatou o chefe do corpo de bombeiros, Morrison Khavari.

Segundo o CEO do hospital, Dilip Shah, outros pacientes que precisavam de oxigênio foram transferidos para unidades de saúde próximas.

Este é apenas o mais recente acidente envolvendo pacientes com coronavírus na Índia. Na quarta-feira (21), outros 24 internados com covid morreram devido a um vazamento de oxigênio em um hospital em Nashik, outra cidade no estado de Maharashtra.

incêndio Mumbai - Punit Paranjpe/AFP - Punit Paranjpe/AFP
Pacientes são retirados do hospital Vijay Vallabh, nos arredores de Mumbai (Índia), após um incêndio que matou ao menos 13 pessoas com covid-19
Imagem: Punit Paranjpe/AFP

Fachada do hospital Vijay Vallabh - REUTERS/Francis Mascarenhas - REUTERS/Francis Mascarenhas
Fachada do hospital Vijay Vallabh, nos arredores de Mumbai, após incêndio em uma ala na manhã desta sexta-feira
Imagem: REUTERS/Francis Mascarenhas

Pacientes cremados - REUTERS/Francis Mascarenhas - REUTERS/Francis Mascarenhas
Pacientes com covid-19 que morreram no incêndio de hoje são cremados em Virar, distrito próximo a Mumbai
Imagem: REUTERS/Francis Mascarenhas

Índia bate recorde mundial de casos pelo 2º dia seguido

Pelo segundo dia consecutivo, a Índia bateu recorde mundial de novos casos do coronavírus Sars-CoV-2, com 332.921 contágios notificados em 24 horas, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. Na última quarta (22), o país havia registrado 314.644 casos.

Com quase 1,4 bilhão de habitantes, a Índia enfrenta a segunda onda da pandemia de Covid-19 e já acumula cerca de 16,3 milhões de contágios diagnosticados, segunda maior cifra no planeta em termos absolutos, atrás apenas dos EUA (32 milhões).

Além disso, a Índia soma aproximadamente 187 mil óbitos e vem registrando mais de 2 mil mortes por dia desde a última quarta (21). A segunda onda da pandemia levou o sistema de saúde ao colapso em muitas partes do país, inclusive com escassez de cilindros de oxigênio para pacientes de Covid-19, principalmente na capital Nova Délhi, metrópole de mais de 20 milhões de habitantes.

A agressividade dessa fase da crise sanitária é atribuída a uma nova variante do Sars-CoV-2 surgida no país e a grandes aglomerações que ajudaram a disseminar o vírus, incluindo festivais religiosos, comícios políticos e partidas de críquete com torcida.

A nova onda derrubou as esperanças de que a Índia já pudesse ter superado o pior da pandemia, avaliação que fizera o governo do nacionalista Narendra Modi abaixar a guarda e permitir que a vida retornasse quase à normalidade.

Desde janeiro, um megafestival religioso em Haridwar atraiu mais de 25 milhões de peregrinos hindus, grade parte deles sem se preocupar em usar máscaras ou manter distanciamento físico.

Para piorar, 13 pacientes com Covid-19 morreram em um incêndio em um hospital na periferia de Mumbai na manhã desta sexta-feira (23).

Em termos proporcionais, quando se leva em conta o tamanho da população, a Índia está longe dos números vistos em outros países, como Brasil, Itália e nações do leste europeu, o que levanta o temor de que a situação possa ficar ainda pior.

Lar do maior fabricante de vacinas do mundo, o Instituto Serum, que produz localmente o imunizante anti-Covid da AstraZeneca, a Índia já aplicou a primeira dose em cerca de 130 milhões de pessoas, porém isso representa menos de 10% de sua população.

*Com Agência Estado, Ansa e AFP

Internacional