PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
5 meses

Cabeleireiro é denunciado por cuspir em cabelo de mulher em evento na Índia

O cabeleireiro indiano Jawed Habib, acusado de "cuspir" em uma mulher durante um workshop - Reprodução/Twitter
O cabeleireiro indiano Jawed Habib, acusado de "cuspir" em uma mulher durante um workshop Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

10/01/2022 10h04

Um dos cabeleireiros mais famosos da Índia, virou o centro de uma polêmica após supostamente cuspir no cabelo "seco" de uma voluntária que participou de um de seus workshops, em Muzaffarnagar, no estado de Uttar Pradesh. Ele acabou denunciado à polícia, mas afirma que apenas simulou a ação.

O cabeleireiro tem mais de 50 mil seguidores no Instagram e chamou uma mulher, que assistia ao evento, para cortar o cabelo no palco. Ele explicava que se a pessoa estiver sem água em casa, pode usar a saliva. É quando parece cuspir no cabelo da mulher.

"Meu cabelo está sujo. Por que está sujo? Porque não usei xampu. Ouçam com atenção: se vocês não tiverem água, se há escassez de água... este cuspe tem vida", diz Jawed no vídeo que viralizou nas redes sociais. A mulher fica sem reação enquanto a plateia aplaude o Habib.

A atitude do cabeleireiro não foi bem vista. "Ontem participei de uma oficina do Jawed Habib. Ele me convidou ao palco para cortar o cabelo. Disse que se não tem água pode usar saliva. A partir de agora, irei ao barbeiro da rua para cortar o cabelo, mas não corto com Habib ", disse a dona de salão de beleza Pooja Gupta, nas redes socias.

A Comissão Nacional para Mulheres pediu à polícia de Uttar Pradesh que investigue imediatamente a veracidade do vídeo e tome as medidas cabíveis sobre o ocorrido.

Em comunicado divulgado nas redes sociais, Habib disse que não cuspiu, apenas simulou a ação, e se desculpou.

"Gostaria de esclarecer que as ações foram feitas em tom de brincadeira, como parte de um longo seminário, para aliviar o clima. Não houve ato real de cuspir. Essa não era a coisa certa a fazer e eu gostaria de me desculpar com todos os envolvidos, e de que nunca foi minha intenção magoar qualquer pessoa ou comunidade", escreveu.

Segundo o Código Penal Indiano e da Lei de Doenças Epidêmicas de 1897, Habib pode ser autuado por agressão ou crime de uso de recurso ou força com intenção de desonrar a pessoa.

Internacional