Conteúdo publicado há 2 meses

Polícia invade embaixada do México em Quito e prende ex-vice-presidente

A polícia do Equador invadiu a embaixada do México em Quito nesta sexta-feira (5) e prendeu o ex-vice-presidente Jorge Glas, que estava refugiado no local desde dezembro.

O que aconteceu

O México havia concedido asilo político ao ex-vice-presidente do Equador Jorge Glas horas antes da invasão da polícia. O Equador classificou de 'ilegal' o asilo concedido a Glas, que foi condenado a seis anos de prisão por corrupção.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, ordenou a suspensão das relações diplomáticas com o Equador. "Trata-se de uma violação flagrante do direito internacional e da soberania do México", disse López Obrador. A Convenção de Viena estabelece que as embaixadas são territórios invioláveis.

O anúncio da concessão de asilo a Glas aconteceu um dia depois que o governo do Equador declarou "persona non grata" a embaixadora mexicana Raquel Serur e ordenou sua saída do país.

Defesa do asilo

Jorge Glas, que foi vice-presidente de Rafael Correa (2007-2017), cumpriu pena pelo escândalo de propinas da Odebrecht, mas enfrenta outro mandado de prisão por supostamente desviar fundos destinados a trabalhos de reconstrução após um terremoto em 2016.

O ex-vice-presidente e o próprio Correa afirma que se trata de uma perseguição política. O ex-mandatário, que ainda é bastante popular em seu país, foi condenado a oito anos de prisão por corrupção e inabilitado politicamente. Ele vive exilado na Bélgica, país de origem de sua esposa.

O México já havia rejeitado uma solicitação do Equador para permitir a captura de Glas na embaixada. Nesta sexta (5), López Obrador fez uma defesa ferrenha da instituto do asilo no México, apontando que, no passado, salvou a vida de muitos latino-americanos perseguidos por ditaduras. Nos últimos anos, o país concedeu asilo ou refúgio a vários ex-colaboradores de Correa.

*Com agências internacionais

Deixe seu comentário

Só para assinantes