Planalto omitiu de agenda oficial viagem de Temer feita em jato que seria da JBS

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • Reprodução

    Agenda oficial da Vice-Presidência do dia 12 de janeiro de 2011 foi modificada pela última vez em 18 de maio de 2017 no site do Planalto

    Agenda oficial da Vice-Presidência do dia 12 de janeiro de 2011 foi modificada pela última vez em 18 de maio de 2017 no site do Planalto

O Palácio do Planalto omitiu da agenda oficial a viagem do então vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), e sua família feita em 12 de janeiro de 2011 para Comandatuba, na Bahia, em um jato particular que seria da JBS.

No portal do Planalto, onde as agendas do presidente e vice-presidente são publicadas diariamente, os compromissos na data se limitam a encontros com políticos e auxiliares. Nenhuma viagem está descrita na agenda de 12 de janeiro de 2011, que caiu em uma quarta-feira, dia de semana. A lista de compromissos da data é formada por 13 audiências no gabinete do Palácio do Planalto das 16h às 22h.

Segundo apurou o UOL, se Temer e família viajaram a lazer, a ida não precisa constar na agenda oficial. Se ele se encontrou com empresários, políticos ou tratou de assuntos econômicos, a viagem precisa constar entre os compromissos.

Questionada pelo UOL, a Presidência se negou a informar o motivo da viagem de Temer para a cidade baiana e o motivo pelo qual ela não consta na agenda oficial. "Todos os esclarecimentos que o Planalto tem sobre este assunto no momento constam na nota à imprensa divulgada ontem", afirmou. (veja o que diz a nota mais abaixo)

A Presidência também se negou a informar os horários de cada deslocamento, pois, na data, segundo nota desta quarta-feira (7) do Planalto, ele teria estado em três cidades diferentes, fora os despachos no Palácio das 16h às 22h.

Reprodução
Lista de encontros do vice-presidente Michel Temer no dia 12 de janeiro de 2011, conforme agenda oficial

A agenda oficial de 11 de janeiro de 2011 ainda afirma que, na véspera da viagem, Temer despachou do gabinete em Brasília, onde ficou pelo menos até as 19h30 com Moreira Franco. Na nota desta quarta, a Presidência afirma que em 12 de janeiro Temer estava em São Paulo. O UOL também perguntou quando foi feita essa viagem de Brasília para São Paulo e em qual avião, mas não obteve resposta.

Apesar dos mais de seis anos transcorridos, a página em que se encontram as agendas de 2011 foram modificadas pela última vez em 18 de maio deste ano, às 11h20, de acordo com o próprio portal do Planalto. O conteúdo alterado não é informado.

Joesley diz que jato pertencia a ele

Segundo Joesley Batista, um dos donos da JBS e que fez acordo de delação premiada junto ao MPF (Ministério Público Federal), o jato pertencia a ele. A informação foi revelada inicialmente pelo site "O Antagonista".

Nesta terça (6), a Presidência informou que Temer e família haviam viajado em um jato da FAB (Força Aérea Brasileira) de São Paulo para Comandatuba. No entanto, nesta quarta-feira, mudou a versão inicial e informou que o avião era particular.

A nota ainda diz que, depois de Comandatuba, Temer seguiu para Brasília no mesmo dia, de onde despachou do Planalto das 16h às 22h. A família Temer retornou para São Paulo em 14 de janeiro "usando o mesmo meio de transporte".

A nota, porém, não diz a quem pertencia o jato. "O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço", diz a nota. O UOL questionou a Presidência sobre o motivo pelo qual, na condição de vice, Temer viajou em avião de dono, alegado por ele, desconhecido e sem pagar pelo serviço. No entanto, não foi esclarecido.

Segundo reportagem da "Folha de S. Paulo", Temer disse a aliados que foi o ex-ministro Wagner Rossi quem ofereceu a ele o avião particular de Joesley. Temer teria pedido a Rossi, que é seu amigo e era ministro da Agricultura na ocasião, uma aeronave para a viagem a Comandatuba.

O presidente relatou a auxiliares que Rossi providenciou um jato particular, mas alegou que não foi informado de que o avião era de Joesley. Rossi, no entanto, foi o responsável pela aproximação entre entre Temer e Joesley.

Diário de bordo indica viagem

De acordo com diário de bordo do avião particular de Joesley, sete pessoas estavam no jatinho no voo de volta, entre elas Temer e sua família. O documento foi entregue por Joesley aos investigadores da Lava Jato com o objetivo de mostrar que ele e Temer eram próximos, ao contrário do que alega o presidente. Nele, foram encontradas duas menções à "Família Senhor Michel Temer".

Há, ainda, divergência quanto à agenda oficial e o plano de voo do jato, de prefixo PR-JBS. Segundo plano de voo obtido pela TV Globo, o avião decolou de Congonhas, em São Paulo, às 13h55 com Temer e família e chegou a Comandatuba às 15h15. A aeronave ficou somente 15 minutos no chão e então decolou para Brasília. O então vice-presidente teria chegado à capital federal às 17h, embora na agenda oficial o primeiro compromisso no gabinete conste às 16h.

O executivo gravou conversa com o presidente e a deleção premiada deu origem a investigação aberta contra Temer com autorização do STF (Supremo Tribunal Federal). Em recente entrevista à "Folha de S. Paulo", Temer reconheceu que conhecia o executivo antes da conversa que tiveram no Palácio do Jaburu, em março deste ano, mas disse que ele é um "falastrão", "uma pessoa que se jacta de eventuais influências".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos