Topo

Marun diz que Cunha está preso porque se recusou a mentir em delação

“Se ele tivesse concordado em me caluniar estaria solto e eu, com a minha vida destruída”, disse Marun sobre Cunha - Alexandre Serpa/Estadão Conteúdo
“Se ele tivesse concordado em me caluniar estaria solto e eu, com a minha vida destruída”, disse Marun sobre Cunha Imagem: Alexandre Serpa/Estadão Conteúdo

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

10/09/2019 17h05

Carlos Marun (MDB-MS), que foi ministro-chefe da Secretaria de Governo durante o governo Temer, afirmou hoje que Eduardo Cunha (MDB-RJ), ex-presidente da Câmara, está preso porque se recusou a mentir em proposta de colaboração premiada com a Operação Lava Jato.

As afirmações de Marun à reportagem repercutem texto publicado no UOL hoje, com base em mensagens dos procuradores no aplicativo Telegram, entregues por uma fonte anônima ao site The Intercept Brasil.

Nos diálogos, os investigadores afirmam que a denúncia de Cunha sobre fraude na escolha de relatorias no Congresso era importante, mas que optariam por ignorá-la.

Um dos motivos apontados pelos procuradores é que Cunha não denunciava Carlos Marun na delação e não trazia outras informações de interesse dos procuradores.

Como não viam interesse nas informações apresentadas por Cunha na proposta de delação, os procuradores da Lava Jato não deram continuidade nas negociações - mas também não se aprofundaram nas ilegalidades apontadas pelo ex-deputado.

Hoje, Marun disse que a reportagem mostra que Cunha cedeu a pressões de depois de ficar quase um ano na prisão.

"Apresentou sua relação prévia de delatados e recebeu como resposta de elementos do MPF que só sairia da cadeia se dissesse alguma coisa que me comprometesse", reclamou o ex-ministro.

"Nada mais interessava. Cunha se recusou a mentir e por isto está preso." O ex-ministro disse que sua vida poderia estar "destruída".

"Se ele tivesse concordado em me caluniar, estaria solto e eu, com a minha vida destruída. Eu, minha família e meus verdadeiros amigos estaríamos sofrendo em função de uma mentira exigida por homens e mulheres que deveriam zelar pelo respeito a Lei", afirmou.

Para o ex-ministro do governo de Michel Temer, o Ministério Público dá "guarida a estes maus elementos, que não vacilam em se transformar em criminosos sob o pretexto de combater o crime". Ele disse que os cidadãos deveriam ter "uma forma de reagir diante de atitudes infames como esta".

Mais Política