PUBLICIDADE
Topo

Política

Em homenagem no STF, Fux lê falso poema de Drummond

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

18/12/2020 18h55Atualizada em 18/12/2020 20h43

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, decidiu encerrar a última sessão do ano na corte com a leitura de um poema. Mas cometeu um erro no meio do caminho.

O ministro atribuiu o poema "Recomeçar" a Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), mas o texto não é do autor itabirano. O poema é de Paulo Roberto Gaefke, que publica livros de poesia e mantém um site com seus textos desde o ano 2000.

A confusão com os créditos do poema "Recomeçar" não é nova. Em 2009 o próprio Gaefke contou ao colunista do UOL Maurício Stycer o trabalho para ter a autoria sobre o texto reconhecida.

Uma pesquisa no Google pelos termos "recomeçar" e "Drummond" traz na primeira página de resultados links para seis páginas e três vídeos com o poema erroneamente atribuído ao poeta mineiro.

Fux citou o poema para marcar o encerramento do ano no STF, que está de recesso entre amanhã e fevereiro, e em homenagem à ministra Rosa Weber, que completou hoje nove anos de atuação no tribunal.

A poesia começa com os versos: "Não importa onde você parou, em que momento da vida você se cansou, o que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar".

"Ministra Rosa Weber, para saudá-la nesses nove anos, eu escolhi alguns trechos dessa poesia "Recomeçar" de Carlos Drummond de Andrade, que se aplica a nós e se aplica a toda a humanidade", disse Fux à colega de tribunal.

O presidente do STF não está sozinho nesse tipo de equívoco. Também a apresentadora Ana Maria Braga, ao comemorar o centenário de nascimento da escritora Clarice Lispector, no último dia 10, leu textos que são falsamente atribuídos à autora.

Política