PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Lula sem gravata e Janja com vestido bordado: o que os noivos usaram

Foto oficial do casamento de Lula e Janja - Ricardo Stuckert
Foto oficial do casamento de Lula e Janja Imagem: Ricardo Stuckert

Do UOL, em São Paulo*

18/05/2022 22h17Atualizada em 19/05/2022 13h06

Uma foto oficial do casamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com a socióloga Rosângela Silva, a Janja, na noite desta quarta-feira (18), mostrou a roupa que o casal estava usando na cerimônia realizada em uma casa de festas na zona sul de São Paulo.

Lula optou por um terno azul escuro e estava sem gravata. Janja usou um vestido na cor off white, com mangas, e coberto de bordados feitos por moradoras de Timbaúba dos Batistas, uma cidade da região do Seridó, no sertão do Rio Grande do Norte, como Universa adiantou.

A imagem oficial da troca de alianças foi publicada pelo perfil do petista nas redes sociais após a cerimônia.

Em conversa exclusiva com a estilista Helô Rocha, que assina o modelo escolhido por Janja, Universa obteve, na semana passada, os detalhes da peça usada pela noiva no casamento: um vestido longo, em organza (tecido feito de seda), decote arredondado e coberto de bordados. Os bordados e riscos personalizados, contou a estilista à reportagem, criam uma história dentro do vestido, que ela não quis adiantar para a reportagem, nem mesmo a temática.

Apesar disso, uma imagem da noiva com o próprio, divulgada pelo perfil de Lula no Instagram logo após o casamento, mostra os bordados com os símbolos de estrelas, cactos, lua e folhagens. "O amor venceu! #LuarDoSertão", escreveu o petista em homenagem à amada e indicando que sertão seria o tema da peça.

Helô e Janja começaram a conversar sobre o vestido em dezembro, e a estilista iniciou a produção do trabalho em janeiro deste ano. Foram quatro provas até o momento da entrevista da criadora da peça. Os bordados combinam com a lembrança dada aos convidados da festa.

Já para o cabelo, a noiva escolheu um coque baixo, com o cabelo partido ao meio, sem utilizar véu e grinalda. A socióloga ainda escolheu usar um sapato branco com pequena abertura na parte da frente do calçado.

A cerimônia

Os preparativos do casamento foram cercados por mistério. Nem mesmo os convidados sabiam previamente o local da cerimônia —o endereço só foi revelado horas antes, por meio de QRCode impresso no convite. Até a véspera da festa, políticos e amigos evitavam falar sobre o casamento —os próprios noivos pediram discrição.

A cerimônia foi conduzida pelo bispo emérito de Blumenau (SC), dom Angélico Sândalo Bernardino, que é amigo de Lula desde os anos 1970. De acordo com Fernando Morais, biógrafo do ex-presidente, os noivos não fizeram discursos no altar. Os votos foram religiosos e iguais, lidos pelos dois. Morais foi o primeiro convidado a deixar o local —disse que precisava sair para fazer tratamento de sequelas da covid-19.

Após a cerimônia, Lula e Janja foram para uma sala exclusiva. Os convidados foram encaminhados diretamente para o espaço de jantar. A programação inclui uma tradicional valsa do casal e o corte do bolo, que tem quatro andares, é branco e tem as iniciais dos noivos, L e J.

Entre a apresentação de uma banda e o DJ, foi exibido o novo clipe de "Sem Medo de Ser Feliz", o "presente" de Janja a Lula, como ela anunciou no lançamento da pré-candidatura do petista à presidência da República.

Na festa, os dois se dirigiram aos convidados ao abrir a pista de dança. De acordo com a assessoria do petista, não houve conotação política: Lula teria dito que os dois trocaram mais de 580 cartas na prisão e que Janja o rejuvenesce; já a noiva teria declarado viver o dia mais feliz de sua vida.

Os celulares dos convidados foram confiscados. Apenas três médicos, que são convidados, receberam autorização para ficar com os aparelhos.

A PM (Polícia Militar) de São Paulo mantém viaturas em frente ao buffet.

As fontes consultadas pela reportagem também disseram que Janja teve a ajuda das amigas para organizar o casamento. Os detalhes foram decididos em 15 reuniões e quatro meses de preparação.

*Com Ana Paula Bimbati, Lucas Borges Teixeira e Beatriz Gomes, do UOL, em São Paulo, e Rute Pina, de Universa, em São Paulo


Política