Gestação

Gripe na gravidez duplica risco de autismo na criança

Em Washington

As mulheres afetadas por gripe durante a gravidez têm duas vezes mais possibilidades de conceber um filho autista, revela um estudo realizado na Dinamarca e publicado na última segunda-feira (12) nos Estados Unidos.

A investigação, baseada em entrevistas com as mães, envolveu quase 97 mil crianças dinamarquesas entre 8 e 14 anos nascidas entre 1997 e 2003. Deste total, apenas 1% (976) foi diagnosticado com autismo.

Mas quando os autores perguntaram às mães se haviam sofrido algum tipo de enfermidade durante a gravidez, entre as que relataram a ocorrência de gripe o risco de ter um filho autista mais que dobrou, destaca o estudo publicado pela revista americana Pediatrics.

O risco até triplicou quando as mães sofreram febre por períodos prolongados, de sete dias ou mais de duração, antes da 32ª semana de gravidez.

Os autores ignoram "se o tratamento com antibióticos está associado com o autismo observado". "Esta relação entre antiobiótico e autismo é algo novo e ainda não confirmado".

Diante do vínculo observado entre a gripe da mãe e o autismo da criança, os autores do estudo recomendam às mulheres grávidas que se vacinem por precaução.

Os pesquisadores realizaram o estudo com base em resultados de uma investigação realizada com ratos que sugeriu que a ativação do sistema imunológico materno durante a gravidez pode provocar deficiências no desenvolvimento neuronial do feto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos