PUBLICIDADE
Topo

Enfermeira com ebola permanece em estado estável na Espanha

Em Madri

10/10/2014 09h55

A enfermeira infectada pelo vírus do ebola na Espanha, Teresa Romero, permanece em estado estável, segundo informaram fontes do Hospital Carlos III de Madri, nesta sexta-feira (10).

Além de Romero, outras 13 pessoas permanecem internadas no mesmo centro hospitalar, embora o único caso confirmado de contágio por ebola seja o de Teresa.

Outro caso em investigação é o de uma enfermeira, que ainda precisará fazer um segundo exame quando se passarem 72 horas do primeiro teste, que deu negativo. Ela não demonstra sintomas de contágio.

Na noite da quinta-feira, sete pessoas foram internadas no hospital para permanecer em observação e uma recebeu alta. Apenas três pessoas estão sob vigilância ativa por contatos de alto risco com a auxiliar.

O trio é composto pelo marido da auxiliar, o médico que prestou o atendimento no serviço de emergência e o médico que a atendeu em um primeiro momento no centro de saúde; todos permanecem assintomáticos.

Saiba mais sobre ebola

  • O que é o ebola?

    A doença é causada pelo vírus ebola e, no surto atual, já matou quase a metade dos pacientes diagnosticados com a doença. Tem sintomas como febre, vômito, diarreia e hemorragia.

  • Como se contrai o vírus?

    O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e fluídos corporais (suor, urina, fezes e sêmen) de pessoas contaminadas e de tecidos de animais infectados.

  • Quais países têm mais casos de ebola?

    Guiné, Libéria e Serra Leoa vivem surtos de ebola. Na Nigéria houve casos da doença, mas o vírus deixou de ser ameaça no país. EUA e alguns países europeus resgataram compatriotas infectados para tratamento.

  • Quem tem mais risco de contrair a doença?

    Parentes dos pacientes e os profissionais de saúde que tratam os pacientes com ebola são os indivíduos em maior situação de risco. Mas, qualquer pessoa que se aproxime de infectados ou de seus corpos sem vida se coloca em risco.

  • O ebola tem cura?

    Não há remédio que cure o ebola propriamente. Existem apenas medicamentos e vacinas experimentais sendo testadas no Canadá, nos Estados Unidos e na África, que surtiram o efeito desejado, isto é, zeraram a carga viral dos infectados. Quem sobreviveu ao tratamento continuará sendo monitorado por um tempo.