Sindicância investiga caso de médicos que batem ponto sem trabalhar no Rio

Do UOL, em São Paulo

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que já foi aberta uma sindicância por parte da Subsecretaria e Corregedoria da Saúde para investigar o caso de médicos do Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama (RJ), que assinam o ponto e vão embora sem prestar qualquer atendimento à população. A sindicância foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (27).

Uma reportagem do SBT reproduzida pelo UOL flagrou os profissionais saindo da instituição dez minutos depois de assinar o ponto. De acordo com a secretaria, os nomes dos médicos envolvidos na fraude serão enviados ao Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) para que a entidade investigue a conduta médica desses profissionais.

Em nota, o conselho afirmou que controlar o ponto dos médicos é um problema administrativo do hospital, logo, fica por conta da administração pública apurar os fatos.

Caso seja comprovada a fraude, os médicos poderão ser demitidos e a Secretaria solicitará que a Procuradoria Geral do Estado entre com medidas judiciais cabíveis para que haja o ressarcimento desse dinheiro pago aos profissionais que não trabalharam.

De acordo com a reportagem do SBT, o hospital é utilizado por moradores de 11 cidades da Região dos Lagos, que têm juntas 770 mil habitantes.

Em junho, o SBT Brasil denunciou que médicos da maternidade pública Leonor Mendes de Barros, na zona leste de São Paulo, agiam da mesma forma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos