PUBLICIDADE
Topo

'Trigêmeos' nascem com cinco anos de diferença na Inglaterra

Os trigêmeos James, Elizabeth e Daniel, que nasceram com cinco anos de diferença - Reprodução/Daily Mail
Os trigêmeos James, Elizabeth e Daniel, que nasceram com cinco anos de diferença Imagem: Reprodução/Daily Mail

Do UOL, em São Paulo

10/02/2014 10h48Atualizada em 10/02/2014 18h24

Nicola Brightey costuma deixar as pessoas espantadas quando diz que seus filhos são trigêmeos. Isso porque a mais nova nasceu com cinco anos de diferença em relação aos meninos, mas todos foram concebidos no mesmo dia. Isso só foi possível porque a mulher congelou seus embriões durante um tratamento para engravidar.

Para os médicos, porém, as crianças não são consideradas gêmeas: "Os embriões foram implantados em épocas diferentes, não importa que tenham sido fertilizados juntos. A definição de gêmeos é 'quando há a presença de mais de um feto simultaneamente no útero'. Eram três embriões diferentes. Apesar de parecidos, eles não são univitelinos", conta o ginecologista Rogério Leão, membro da equipe de reprodução humana do IPGO, em São Paulo.

Tentativas 

Nicola e Kevin Brightey tentaram ter filhos por 15 anos. Eles fizeram, então, um tratamento de fertilização in vitro que custou cerca de 20 mil libras esterlinas (R$ 80 mil).

"James e Daniel não podiam esperar para conhecer sua irmã e, agora, são sempre tão protetores com ela. Nós esperamos tanto tempo para ter os nossos filhos - mas agora a nossa família está finalmente completa depois de todo esse tempo", conta a mãe.

O casal, que vive em Wisbech, Cambridgeshire, na Inglaterra, começou a tentar ter filhos após o casamento, em 1998. Quatro anos após tentativas que não deram certo, testes mostraram que as trompas de Nicola estavam bloqueadas. “Eu tive peritonite (inflamação do peritônio, a membrana serosa que reveste parte da cavidade abdominal e vísceras) aos 15 anos e os médicos me disseram que ele tinha causado extensa cicatriz nas minhas trompas de falópio”, conta Nicola, hoje com 35 anos.

A primeira tentativa de tratamento por fertilização foi realizada em outubro de 2007, mas falhou e deixou o casal muito arrasado.

Porém, em janeiro de 2008, foi iniciado um segundo tratamento e desta vez Nicola conseguiu produzir 14 óvulos. Oito foram fertilizados e dois foram colocados de volta em seu ventre. Os seis restantes foram armazenados no congelador. Duas semanas depois, a gravidez foi confirmada.

Os gêmeos James e Daniel nasceram em novembro de 2008. "Foi muito emocionante quando eles nasceram e eu os segurei em meus braços, foi o momento mais incrível. Depois de todos esses anos, finalmente éramos pais”, conta Nicola.

Foi então que o casal decidiu que faria mais um tratamento de fertilização in vitro e tentaria dar outro irmão para os gêmeos no futuro. Assim, em fevereiro do ano passado, o casal começou um terceiro tratamento.  Um embrião foi retirado do congelador e descongelado, mas não sobreviveu ao processo.

O segundo embrião foi colocado com sucesso de volta ao útero, Nicola explicou que não tentaram com dois embriões porque já era mãe de gêmeos. Uma menina, então, nasceu em novembro. "Elizabeth parecia idêntica aos meninos quando eles nasceram. Todos pareciam três ervilhas em uma vagem”, diz ela brincando. E acrescenta: "E as pessoas não podem acreditar quando eu digo que eles são trigêmeos”.

Apesar de o tratamento ser caro, em torno de  R$ 80 mil, Nicola não tem do que reclamar. "Durante anos eu nunca pensei que voltaria a ser mãe; tem sido uma longa batalha para termos nossos trigêmeos. Levou 15 anos e cerca de 20 mil libras, mas valeu a pena cada centavo. Eu me sinto como a mãe mais sortuda do mundo".

(Com Daily Mail)

  • O casal Nicola e Kevin Brightey, que fez tratamentos de fertilização, com os trigêmeos