Topo

Lanches frequentes evitam brigas conjugais, diz estudo com bonecos de vodu

Do UOL

Em São Paulo

14/04/2014 17h43

Lanchinhos frequentes podem combater bem mais do que a fome. De acordo com um estudo feito com bonecos de vodu, ficar muito tempo sem comer leva as pessoas a brigarem mais com seus parceiros. Isso porque quedas no nível de açúcar no sangue fazem as pessoas ficarem mais sensíveis, segundo pesquisadores. 

O pesquisador de psicologia Brad Bushman, da Universidade do Estado de Ohio, usa um bom termo, em inglês, para resumir o que acontece: "hangry" ("hungry", que significa "fome", misturado com "angry", que significa "bravo").

"Precisamos de glicose para ter autocontrole", explica o pesquisador em estudo publicado esta segunda-feira (14) no periódico "PNAS", da Academia de Ciências dos EUA. E raiva é justamente a emoção que as pessoas têm mais dificuldade de controlar.

Os pesquisadores estudaram 107 casais ao longo três semanas. Toda noite, eles tinham seus níveis de glicose (açúcar) no sangue medidos e eram convidados a fincar de 0 a 51 agulhas em um boneco de vodu, que representava seu marido ou mulher, de acordo com a raiva que sentiam do parceiro (a).

A conclusão foi certeira: quanto maiores os níveis de açúcar no sangue, menos agulhas eram fincadas. Os participantes com os menores níveis, aliás, fincavam o dobro de pinos em relação aos que tinham os índices mais elevados de glicose.  

O estudo também trouxe outro resultado interessante: de forma geral, os cônjuges não sentem tanta raiva um do outro. A média para todo o estudo foi um pouco mais de uma agulhada por noite por pessoa. Apenas três participantes colocaram as 51 agulhas de uma só vez. E uma pessoa fez isso duas vezes. 

Glicose estável

Segundo o líder da pesquisa, há uma boa razão para associar a necessidade de comer a um comportamento: o cérebro, que tem apenas 2% do peso corporal, consome 20% de todas as nossas calorias. 

Bushman afirma que comer uma barra de chocolate pode ser uma boa ideia antes de "discutir a relação" ou algum tema delicado. Mas o melhor, mesmo, é investir em frutas e vegetais, já que alimentos com fibras mantém os níveis de açúcar estáveis por mais tempo. 

Alguns especialistas criticaram o estudo, financiado pela Fundação Nacional de Ciência dos EUA.  Para a professora de psicologia Chris Beedie, da Universidade de Aberystwtth, no Reino Unido, o método do estudo foi falho. O ideal, segundo ela, seria elevar ou reduzir o açúcar no sangue das pessoas em determinadas ocasiões para checar se isso faria diferença em atos reais de agressão. 

Já  Julie Schumacher , que estuda psicologia e violência doméstica na Universidade de Mississippi, acredita que o estudo foi bem desenhado e que os níveis baixos de açúcar no sangue podem contribuir para os conflitos conjugais. 

Ambas elogiaram, no entanto, a ideia de medir a tendência a agredir o parceiro com vodus. O único problema com o método foi relatado pelo próprio autor do estudo, que recebeu um telefonema inesperado de sua operadora de cartão de crédito. A empresa queria ter certeza de que ele havia realmente gastado US$ 5 mil para comprar bonecos de vodu.

(Com AP)

Mais Notícias