Brasil tem 1.434 casos de bebês com microcefalia e lesões

Do UOL, em São Paulo

  • Bruno Pedersoli/UOL

O Brasil teve 1.434 casos de bebês com microcefalia ou lesões no sistema nervoso confirmados entre outubro de 2015 e o dia 21 de maio, segundo relatório do Ministério da Saúde divulgado nesta terça-feira (24). O Acre é o único Estado sem casos, até agora. 

O surto de crianças nascidas com problemas neurológicos está associado à epidemia de zika, vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. De acordo com o boletim, 3.257 casos continuam em investigação.

Segundo a pasta, 208 casos tiveram confirmação por critério laboratorial específico para o vírus da zika. Contudo, o ministério considera que houve infecção por zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia.

Até o momento, ao menos 60 bebês morreram por microcefalia durante a gestação ou após o parto. Outras 187 mortes são investigadas para confirmar a razão. 

Sudeste e Centro-Oeste podem ter surto em outubro

Depois do surto de crianças com microcefalia no Nordeste, especialistas indicam que pode haver uma nova onda de bebês com malformações nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país. Segundo Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, em maio tivemos mais pessoas infectadas com zika nessas regiões, e os nascimentos devem acontecer em outubro.

Segundo dados do Ministério da Saúde, até o início de maio a região Sudeste tinha 46.318 casos de pessoas infectadas pelo vírus da zika, o maior número, seguido pela região Nordeste, com 43 mil. No Centro-Oeste são 20.101; no Norte, 8.545 e no Sul, 2.197.

Veja o que você precisa saber sobre o vírus da zika

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos