Usar botas fechadas dá frieira? Passa pela piscina? Veja mitos e verdades

André Carvalho

Do UOL, em São Paulo

  • IStock

    Frieiras podem ser causadas por fungos, alergia ou somente pela umidade

    Frieiras podem ser causadas por fungos, alergia ou somente pela umidade

Sabe aquele exame médico que as piscinas públicas nos exigem? Ou aquela recomendação que toda mãe já fez para o filho de enxugar bem entre os dedos do pé? Tudo isso se dá pelo mesmo motivo: evitar o aparecimento de frieiras, pequenas feridas e descamações que ocorrem entre os dedos dos pés. 

E por que elas, de fato, ocorrem? Saiba o que é mito e o que é verdade.

Qualquer fissura entre os dedos dos pés é frieira?

Sim. De acordo com a dermatologista Zilda Najjar, professora da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), "frieira é qualquer descamação ou corte que fique entre os dedos ou embaixo dos dedos dos pés".

Esta definição ampla de frieira, um nome popular para diferentes tipos de fissuras, descamações e até mesmo inflamações.

Frieira é causada por fungos?

Para Najjar, a ideia de que a frieira é causada exclusivamente por fungos é um dos equívocos mais comuns quando se trata sobre o assunto. "Às vezes, [o meio dos dedos] começa a descamar e a pessoa já põe antifúngico, o que está errado", afirma a dermatologista.

Isso porque existem outros tipos de frieiras, sendo uma delas ocasionada apenas pela umidade entre os dedos, que faz com que a camada de pele chamada de queratina amoleça e descasque, provocando fissuras. Neste caso, é recomendado que se aplique no local um pó antisséptico, que irá atuar na lesão e manter, também, a região seca.

A umidade também pode ser um fator a mais para que os fungos, como o Epidermophyton floccosun e algumas espécies de Trichophyton, se desenvolvam, já que ambientes quentes e úmidos são propícios para isso. Contudo, é preciso que a pessoa tenha contato com estes fungos, diretamente de outra pessoa, ou indiretamente, em locais contaminados por eles, para que isso ocorra --tal infecção também é conhecida como micose.

Uma lesão no pé --eventualmente causada até mesmo por uma frieira ocasionada por umidade -- também pode ser uma "porta de entrada" para estes fungos --uma infecção mais profunda pode ocorrer se por esta ferida a bactéria Streptococcus se alojar no corpo, em uma doença chamada erisipela.

Há ainda um terceiro tipo de frieira, ocasionada por alergia, chamada de dermatite de contato.

Todo tipo de frieira é igual?

Em relação aos sintomas, existem pequenas diferenças entre os três tipos de frieira.

A micose, ocasionada por fungos, segundo Najjar, "geralmente não tem cortes, dá mais uma descamação e podem aparecer pequenas bolhas". A frieira por alergia, "é mais úmida, muito vermelha e coça muito".

Já a de umidade, "é uma coisa sem sintoma, só descasca o meio dos dedos e às vezes dá uma rachada".

Paula Tavares, dermatologista e mestre em Clínica Médica pela Unicamp, afirma que, mesmo que existam diferenças nas causas de contágio e nos sintomas, a umidade "é um fator bem importante no desenvolvimento de qualquer uma destas causas de frieira e acaba piorando todos elas".

Frieira e "pé de atleta" são a mesma coisa?

O "pé de atleta" é uma micose de pé causada por fungos. A diferença entre a frieira é que esta micose se dá na planta do pé, ao passo que a frieira gerada por fungos ocorre entre os dedos. 

E por que o nome popular desta micose é "pé de atleta"? "Normalmente, atleta usa muito banheiro comum, chuveiro comum. Então, se uma pessoa tem a micose, ela pode passar para outras", diz Tavares.

Posso pegar frieira na piscina?

Pode. Os fungos gostam de lugares úmidos e quentes, lembra? "Aquelas pocinhas de água em volta da piscina são lugares que o fungo gosta. É uma água mais quentinha por onde passa muita gente. E o fungo precisa se alimentar da nossa pele", diz Tavares. 

Se a pessoa tem algum machucado no pé, o risco de contágio aumenta, já que o fungo pode ali se alojar.

Agência Fotosite

Usar botas fechadas aumenta o risco de ter frieiras?

Sim. O uso de botas, sapatos de borracha e meias sintéticas fazem com que o pé retenha o suor, ficando quente e úmido, ambiente propício para o desenvolvimento de frieiras, tanto aquelas ocasionadas pela simples umidade no local quanto a fúngica.

"Não use todo dia o mesmo sapato, ponha-o para tomar um solzinho, use mais meias de algodão, troque-as todo dia", recomenda Tavares.

Najjar também sugere que as pessoas usem mais sandálias e chinelos, para manter o pé seco. Ela lembra, ainda, que há a possibilidade de "pegar" frieira alérgica "pelo contato com a meia, com produto que lava a meia ou com o próprio tênis".

Tem momento do ano em que dá mais frieira?

Pelo fato de a pessoa suar mais no verão, o que faz com que os pés fiquem mais quentes e úmidos quando usamos sapatos, o verão é uma estação em que ocorram mais casos de frieira, explica Najjar.

Nesta época do ano, as pessoas frequentam mais piscinas e clubes --e banheiros coletivos--, lugares onde há a uma maior possibilidade de contágio por fungos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos