PUBLICIDADE
Topo

Saúde

'Única saída é vacinar, o resto é paliativo', diz Mourão sobre isolamento

O vice-presidente, Hamilton Mourão - Isac Nóbrega/PR
O vice-presidente, Hamilton Mourão Imagem: Isac Nóbrega/PR

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

01/03/2021 10h23

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou que o isolamento físico das pessoas e outras medidas contra o coronavírus diferentes da vacinação são paliativos no enfrentamento da pandemia.

"Na realidade, a única saída é vacinar todo mundo", disse ele na manhã desta segunda-feira (1º) a jornalistas que o questionavam sobre o isolamento social. "O resto é tudo paliativo. A saída é conseguir ir vacinando todos e ter uma vida normal."

As declarações foram dadas em um momento que governadores decretaram restrições mais duras à circulação de pessoas. Em alguns locais, houve toque de recolher; em outros, confinamento com fechamento de comércio não essencial. Isso porque ao menos 17 capitais têm ocupação de UTIs superior a 80% por causa do aumento das infecções no país, cuja média móvel de mortos chegou a 1.200 pessoas por dia. Em novembro, a taxa de óbitos havia caído para 319 pessoas por dia, mas voltou a subir no país.

Por outro lado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem criticado as medidas tomadas para enfrentar essa segunda onda de covid-19 no país. Ele reclama dos efeitos colaterais na economia.

Hoje, Mourão — que se encontra com Bolsonaro às 16h para tratar do relatório do Conselho de Amazônia - afirmou que alguns governadores podem ter se errado no isolamento social no ano passado. "A gente não pode cansar a noiva antes da festa", disse ele.

"Em tempos passados, alguns dos gestores talvez tenham se adiantado. A população se cansou antes do tempo. Muita gente foi pra rua. É uma situação complicada." Mourão mencionou o problema das festas com aglomerações sem máscaras. "Turma jovem fica aglomerado na festa, transmite ao pai, à avó..."

Mourão reiterou afirmação do presidente segundo a qual o sistema de saúde sempre teve problemas, e não apenas durante a pandemia.

Saúde