PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

SP: Flexibilização abrangente só virá com 100% de imunização, diz Gabbardo

João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

18/06/2021 20h06

João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência de Combate ao Coronavírus do Governo de São Paulo, afirmou que o Estado de São Paulo aguarda a imunização de 100% da população com pelo menos a 1ª dose da vacina para uma reabertura mais expressiva das atividades no Estado, como a realização de eventos de grande porte.

"Temos que controlar, monitorar dois indicadores. Um é a cobertura vacinal. Se estivermos computando até o final, metade de setembro, 100% da população com a primeira dose, certeza que poderemos flexibilizar várias medidas. Para grandes aglomerações, para grandes eventos, isso vai passar por testes. Teremos que analisar o comportamento das pessoas", disse à GloboNews.

O ex-secretário do Ministério da Saúde chamou atenção para a diferença das vacinas utilizadas no Brasil para os Estados Unidos, fato que pode pesar na condução da reabertura em São Paulo.

"As vacinas que estão sendo usadas no Brasil têm uma eficácia elevada, muito boa, para casos graves, internação hospitalar e óbitos. No entanto, elas ainda permitem a transmissão da doença. É diferente da vacina usada nos Estados Unidos, que na 1º dose reduz a possibilidade de transmissão", explicou.

"Por isso que no Chile, que é emblemático porque tem uma elevação nas taxas de vacinação, há uma aceleração na transmissão, mesmo que não seja acompanhada do aumento de óbitos e internaçoes. Para voltar à normalidade, precisamos ter um percentual elevado de duas doses e controle da pandemia, além da redução muito significativa de novos casos, o que ainda estamos muito distantes", concluiu.

Saúde