PUBLICIDADE
Topo

Saúde

RJ: Secretaria de Saúde emite alerta após suspeitas de hepatite aguda grave

Dos seis casos suspeitos investigados pelas vigilâncias municipais com apoio da vigilância estadual, três são de moradores do município do Rio de Janeiro - Fernando Nascimento/Sigmapress/Estadão Conteúdo
Dos seis casos suspeitos investigados pelas vigilâncias municipais com apoio da vigilância estadual, três são de moradores do município do Rio de Janeiro Imagem: Fernando Nascimento/Sigmapress/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

06/05/2022 17h10Atualizada em 06/05/2022 17h10

A Secretaria estadual de Saúde do Rio de Janeiro emitiu um alerta, hoje, a todos os 92 municípios sobre o registro de casos de hepatite aguda grave de causa desconhecida em menores de 16 anos. Segundo comunicado, o estado tem seis casos suspeitos, sendo um deles um bebê que não resistiu e morreu.

No dia 15 de abril, a OMS (Organização Mundial da Saúde) anunciou que monitora casos de hepatite aguda grave de origem desconhecida em crianças na Europa. De acordo com a entidade, até o dia 8 de abril, foram notificados 74 casos no Reino Unido, sendo dez deles na Escócia.

Na ocasião, a entidade citou relatos também de três casos confirmados na Espanha e ao menos seis, em investigação, na Irlanda. A OMS alertou que era "muito provável" que mais casos da doença fossem diagnosticados nos próximos dias.

Exames laboratoriais descartaram a possibilidade de a doença ser provocada pelos vírus já conhecidos de hepatite: A, B, C, E e D (quando aplicável).

Segundo nota da Secretaria do Rio, no dia 24, o Ministério da Saúde encaminhou aos estados um comunicado de risco alertando os serviços de saúde para ficarem atentos a casos de hepatite aguda grave em que o paciente apresenta transaminases (enzimas intracelulares) acentuadamente elevadas, às vezes precedida por sintomas gastrointestinais.

"Estamos acompanhando a evolução da doença no mundo e monitorando junto às vigilâncias municipais os registros de casos suspeitos no estado. O alerta é justamente para que esses pacientes possam ser acompanhados e monitorados de forma correta", afirmou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Casos suspeitos de hepatite aguda grave

De acordo com o comunicado da Secretaria de Saúde, dos seis casos suspeitos investigados pelas vigilâncias municipais com apoio da vigilância estadual, três são de moradores do município do Rio de Janeiro (uma criança de 4 anos, uma criança de 8 anos e um bebê de 2 meses), um de Niterói (criança de 3 anos) e um de Araruama (criança de 2 anos). Um bebê de 8 meses, morador de Maricá, morreu e a investigação também segue em andamento.

"É importante que os pais e responsáveis fiquem atentos aos sintomas das crianças. Se houver qualquer suspeita, elas devem ser imediatamente levadas a um serviço de saúde para que possam ser diagnosticadas e tratadas", ressaltou Chieppe.

A hepatite é uma inflamação do fígado que pode ter diversas causas, sendo as mais comuns as infecções pelos vírus tipo A, B e C, além do consumo abusivo de álcool ou outras substâncias tóxicas como medicamentos e drogas.

Saúde