Homem que tentou decapitar pessoa no metrô de Londres é condenado à prisão perpétua

Em Londres

  • Metropolitan Police via Reuters

    Muhaydin Mire, acusado de tentar degolar um homem em dezembro de 2015

    Muhaydin Mire, acusado de tentar degolar um homem em dezembro de 2015

Um homem declarado culpado pela tentativa de assassinato por decapitação no metrô de Londres, em um ataque classificado como terrorista, foi condenado nesta segunda-feira à prisão perpétua, com um mínimo fixo de oito anos e meio em caso de redução da pena.

Muhaydin Mire, de 30 anos e nascido na Somália, foi declarado culpado no início de junho por ter tentado decapitar um homem inspirando-se no ataque realizado contra o soldado Lee Rigby em Londres, em 2013.

O juiz afirmou que, apesar de no momento dos fatos o condenado sofrer de esquizofrenia paranoide, Muhaydin Mire agiu inspirado no conflito na Síria.

Em 5 de dezembro de 2015, o homem feriu duas pessoas na entrada da estação de metrô de Leytonston, leste de Londres, dois dias depois de iniciados os bombardeios britânicos contra o grupo Estado Islâmico (EI) na Síria.

A principal vítima, um homem de 56 anos, apresentava um corte de 12 cm na nunca e foi submetido a uma operação de cinco horas.

"Isso é por meus irmãos sírios. Vou derramar teu sangue", disse Mire no momento do ataque.

Seu celular possuía informações sobre os bombardeios da coalizão e imagens de Lee Rigby, assassinado em Londres, em maio de 2013, e de reféns do EI antes de serem decapitados.

Após oito anos e meio de cumprimento de sentença em um hospital psiquiátrico de alta segurança, seu caso será estudado de novo para uma eventual redução de pena.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos