Mulher morre atada a árvore cheia de formigas na Bolívia

La Paz, 4 Jan 2017 (AFP) - Uma mulher acusada de roubo e que havia sido amarrada por uma multidão a uma árvore repleta de formigas morreu em razão das picadas do inseto, em um novo caso de linchamento em uma área rural da Bolívia, informou nesta quarta-feira o advogado da família.

Dois de seus dois filhos sofreram a mesma punição durante várias horas até que foram resgatados pela polícia, mas a mulher morreu a caminho do hospital.

"A mãe teve um desfecho fatal, morreu por broncoaspiração. É provável que as formigas picaram sua traqueia, o que causou uma inflamação e fez com que parasse de respirar", indicou a advogada Roxana Bustillos, citada pelo site de notícias Urgente.bo.

A mãe e seus dois filhos foram amarrados a uma árvore, na qual havia um formigueiro, conhecido como Palo Santo, na aldeia de Caranavi na região de Yungas, ao norte de La Paz, depois de serem acusados de roubar carros, segundo informou o chefe de polícia regional, Gunter Agudo.

Todos os três foram vendados e a intenção era a de queimá-los, porque estavam encharcados de gasolina, de acordo com imagens de televisão.

A toxina liberada pela formiga do tipo Pseudomyrmex triplarinus, em pequenas doses, também é utilizada na Bolívia para combater artrite.

Um informe do Ministério da Justiça estabeleceu que em 2013 foram registrados 79 linchamentos ou morte de suspeitos nas mãos da população civil.

A Defensoria Pública estabeleceu que a Bolívia tem as maiores taxas de linchamentos da América Latina, atrás apenas da Guatemala.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos