PUBLICIDADE
Topo

Presidente chinês quer fazer 'revolução nacional dos banheiros'

Um dos primeiros banheiros públicos equipado com Wi-fi e telas - AFP Photo
Um dos primeiros banheiros públicos equipado com Wi-fi e telas Imagem: AFP Photo

Em Pequim

27/11/2017 10h12

O presidente chinês, Xi Jinping, quer avançar com uma nova "revolução" lançada há dois anos para para limpar os notoriamente sujos e malcheirosos banheiros públicos no país, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida e alavancar o turismo.

A chamada "revolução nacional dos banheiros" foi idealizada em 2015 como parte dos esforços para tornar os sanitários - em geral, buracos feitos direto no chão, com ou sem louça sanitária, e sem papel - mais amigáveis para o turista estrangeiro.

Segundo o presidente Jinping, o problema dos banheiros "não é uma coisa pequena", e resolver isso é necessário para criar um ambiente rural e urbano "civilizado", informou a agência de notícias Nova China nesta segunda-feira.

O país espera ter mais de 70 mil novos banheiros até o final do ano. Outros 64 mil serão construídos, ou melhorados, entre 2018 e 2020, de acordo com o plano de ação da Administração do Turismo Nacional.

Latrina chinesa - AP Photo - AP Photo
Latrina chinesa
Imagem: AP Photo


Segundo a Nova China, desde que chegou ao poder em 2012, Xi fez visitas ao campo para perguntar aos moradores se faziam suas necessidades em vasos com descarga, ou direto no solo.

"Nas áreas rurais, alguns banheiros são pouco mais do que abrigos improvisados cercados de arbustos de pés de milho, e alguns são fossas abertas perto de chiqueiros", acrescentou a agência.

"As autoridades locais estão agora mais conscientes do importante papel dos banheiros, acreditando que sanitários melhores são benéficos não apenas para o turismo, mas que também podem... melhorar o nível de civilização da sociedade em geral", completa a Nova China.

As latrinas chinesas assustam potenciais turistas, principalmente ocidentais, com vários posts dedicados ao tema em blogs especializados.

Na China, os banheiros públicos também são conhecidos pela ausência de papel higiênico, roubado por ladrões arrojados que levam rolos inteiros para seu uso pessoal. Em vários lugares, já é obrigatório fazer reconhecimento facial para limitar o uso de porções individuais de papel.

Em comentários no Weibo (o Twitter chinês) nesta segunda-feira (27), os internautas pareciam aprovar o movimento de remodelação dos banheiros no país.

"Apoiem a revolução dos banheiros", escreveu um usuário. "Sério, seja no campo, ou na cidade, quando dá vontade, é sempre uma luta achar um banheiro decente", diz outro.