Produção de carros paralisada no Brasil por greve de caminhoneiros

Brasília, 25 Mai 2018 (AFP) - Todas as linhas de montagem de automóveis do Brasil foram obrigadas a interromper suas atividades, em consequência da greve dos caminhoneiros que bloqueia as estradas de todo o país há cinco dias, informou a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A entidade havia alertado na quinta-feira que a partir de sexta-feira todas as montadoras teriam as linhas de produção paradas, o que foi confirmado durante a manhã, apesar do acordo anunciado na véspera entre o governo e os caminhoneiros, que não foi acatado até o momento de modo visível pelos grevistas.

"A greve dos caminhoneiros afetará significativamente nossos resultados, tanto em vendas, como na fabricação e exportação", advertiu a Anfavea.

A indústria automobilística produz em média 12.600 carros por dia e gera impostos diários de 250 milhões de reais, segundo dados da entidade.

No caso de normalização do transporte rodoviário, o setor tem "uma grande capacidade de recuperação" e, em caso de necessidade, trabalhará no fim de semana, afirmou à AFP uma fonte da Anfavea.

Mas até o momento, os caminhoneiros que protestam contra o aumento do preço do diesel mantêm os bloqueios em pelo menos 24 estados do país.

O governo do presidente Michel Temer e várias associações de transporte chegaram a um acordo para suspender por 15 dias o protesto, com uma série de concessões fiscais em contrapartida.

O movimento provocou escassez e disparada nos preços dos combustíveis e de alimentos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos