PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ativista chinês dos direitos humanos condenado a 5 anos de prisão

29/01/2019 06h20

Pequim, 29 Jan 2019 (AFP) - O fundador de um portal chinês sobre direitos humanos e civis foi condenado a cinco anos de prisão nesta terça-feira pela acusação de incitar a subversão do Estado, informaram organizações de defesa dos direitos humanos.

Liu Feiyue criou e administra o site Civil Rights and Livelihood Watch, que faz a cobertura de questões relacionadas aos direitos humanos e civis, incluindo protestos, abusos policiais e corrupção governamental, temas delicados que não são abordados por grande parte da imprensa chinesa.

Um tribunal de Suizhou, na província de Hubei (centro), anunciou a sentença depois de considerado o ativista culpado de "incitar a subversão do poder estatal", informou a Human Rights Watch.

"A sentença mostra mais uma vez como o governo chinês abusa do sistema judicial para silenciar os dissidentes", declarou Patrick Poon, pesquisador da Anistia Internacional para a China.

"Há graves erros no procedimento deste caso, sem o devido processo de acordo com os padrões internacionais", completou.

"Processar o editor de um site sobre direitos humanos mostra quanto o governo chinês teme as informações independentes sobre os abusos dentro da China", afirmou Yaqiu Wang, pesquisador para a China na ONG Human Rights Watch.

Na segunda-feira, o advogado de direitos humanos Wang Quanzhang foi condenado a quatro anos e meio de prisão por acusações similares.

Wang é um dos mais de 200 advogados e ativistas que foram detidos em uma operação em 2015 contra pessoas críticas ao governo.

ewx/lth/qan/jvb/fp

Internacional