PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Assessor de Segurança de Trump recomenda que Maduro aproveite anistia

31/01/2019 20h01

Washington, 31 Jan 2019 (AFP) - O conselheiro de Segurança Nacional americano, John Bolton, recomendou nesta quinta-feira (31) ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e a seu círculo que aproveitem a anistia oferecida pelo líder do Parlamento, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino.

"Desejo a Nicolás Maduro e a seus principais assessores uma aposentadoria longa e tranquila, vivendo em uma praia agradável em algum lugar longe da Venezuela. Eles deveriam aproveitar a anistia do presidente Guaidó e seguir em frente. Quanto antes, melhor", disse Bolton.

Os Estados Unidos reconhecem o líder opositor como poder legítimo.

A subsecretaria de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Kimberly Breier, criticou nesta quinta-feira ao governo de Maduro depois que Guaidó denunciou que agentes de elite se aproximaram de seu domicílio para intimidar a sua família, incluindo sua filha pequena.

"O regime recorre a apontar para um bebê de 20 meses. Maduro deveria ter vergonha. Não à #Venezuela #EstamosUnidosVE", disse no Twitter a diplomata, que mais cedo chegou aos governos na Europa a reconhecer a Guaidó como presidente.

Breier destacou em uma coletiva de imprensa que mais de 20 países já reconhecido ao líder opositor, que se autoproclamou presidente interino depois que a Assembleia Nacional (Parlamento), de maioria opositora, declarou Maduro "usurpador".

A União Europeia anunciou nesta quinta-feira a criação de um Grupo de Contato de países europeus e latino-americanos de "90 dias" de duração para trabalhar a uma saída à crise na Venezuela através de eleições.

O objetivo "não é mediar", mas "acompanhar" o país em uma saída "pacífica" e "democrática" para crise, disse a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

an/gma/cc

Internacional