Topo

Trump ameaça libertar jihadistas europeus presos na Síria em seus países de origem

21/08/2019 18h57

Washington, 21 Ago 2019 (AFP) - Donald Trump ameaçou nesta quarta-feira libertar em seus países de origem os jihadistas europeus detidos na Síria se países como França ou Alemanha se negarem a repatriá-los.

Durante uma coletiva de imprensa no jardim da Casa Branca sobre o ressurgimento do grupo Estado Islâmico (EI), o presidente americano mencionou o problema dos jihadistas estrangeiros detidos pelas Forças Democráticas Sírias, a coalizão árabe-curda na qual Washington se apoiou para afastar o EI da região que controlava entre a Síria e o Iraque.

"Estamos retendo milhares de combatentes do EI neste momento. E a Europa deve se encarregar deles", disse.

"Se a Europa não retomá-los, não terei outra opção senão libertá-los nos países de onde vêm, ou seja, França, Alemanha e outros lugares", advertiu. "Nós os capturamos, temos milhares deles e agora, como acontece habitualmente, nossos aliados não os querem".

"Os Estados Unidos não vão mantê-los em Guantánamo por 50 anos e pagar por isso", acrescentou.

Lembrou também que o "califado" geográfico do EI havia sido apagado do mapa, e chamou os países que combateram o grupo jihadista a fazer maiores esforços para evitar que este ressurja.

"Será necessário que chegue o momento em que Rússia, Afeganistão, Irã, Iraque, Turquia também briguem", disse. "Nós queremos permanecer lá mais 19 anos? Acredito que não".

pmh/sl/AB/dg/rsr/db

Mais Notícias