Topo

HRW denuncia execuções na Venezuela

18/09/2019 20h27

Washington, 18 Set 2019 (AFP) - A ONG Human Rights Watch denunciou nesta quarta-feira execuções extrajudiciais e prisões arbitrárias cometidas pelas Forças de Ações Especiais (FAES) da polícia venezuelana em zonas carentes que deixaram de apoiar o regime do presidente Nicolás Maduro.

"Em meio a uma crise econômica e humanitária que afeta mais gravemente os que têm menos, as autoridades venezuelanas cometem abusos aberrantes em comunidades carentes que deixaram de apoiar o regime de Maduro", declarou José Miguel Vivanco, diretor para as Américas da Human Rights Watch.

A ONG assinalou que a FAES tem cometido "impunemente graves violações dos direitos humanos" e que "em um país onde o sistema de justiça se dedica a perseguir opositores no lugar de investigar crime, as forças de segurança estão fazendo justiça com as próprias mãos".

A organização baseou seu relatório em entrevistas feitas em junho e julho com testemunhas e familiares de nove vítimas de supostos abusos cometidos por agentes da FAES em Caracas e no interior do país, além de relatos de advogados, ativistas e jornalistas.

Segundo a HRW, estes relatos são "consistentes com o padrão identificado pelo gabinete da Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos", Michelle Bachelet, que no início do mês denunciou possíveis execuções cometidas pela FAES.

an/dga/lr

Mais Notícias