PUBLICIDADE
Topo

Presidente interina da Bolívia anuncia candidatura ao cargo

Presidente interina da Bolívia Jeanine Añez - Manuel Claure/Reuters
Presidente interina da Bolívia Jeanine Añez Imagem: Manuel Claure/Reuters

Em La Paz

25/01/2020 00h37

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, anunciou ontem sua candidatura à presidência nas eleições do próximo dia 3 de maio, diante da falta de união contra os socialistas do ex-presidente Evo Morales.

"Tomei a decisão de me apresentar como candidata às eleições nacionais", disse Áñez em um discurso público.

Áñez assumiu a presidência no dia 12 de novembro, após a renúncia de Morales, pressionado por uma forte convulsão social em meio a denúncias de fraude nas eleições de outubro.

"Não estava nos meus planos participar destas eleições", declarou a presidente, antes de explicar que os demais partidos não conseguiram se unir para enfrentar o Movimento Ao Socialismo (MAS), partido de Morales, que lidera as pesquisas.

"A dispersão do voto e de candidaturas me levou a tomar esta decisão...".

Pesquisa do jornal Página Sete divulgada no início de janeiro concede ao MAS 20,7% das intenções de voto. Áñez, que ainda não era candidata, aparecia com 15,6%, à frente do ex-presidente Carlos Mesa, com 13,8%.

Áñez fez o anúncio após um acordo do seu "Democratas" com o partido "Solbo", do prefeito de La Paz, Luis Revilla, que nas eleições de outubro apoiou Mesa contra a reeleição de Morales.

"Estamos em outro momento histórico", disse o prefeito, que pode integrar a chapa de Áñez como candidato a vice-presidente.

O candidato à presidência e líder cívico Luis Fernando Camacho, ator-chave nos protestos que levaram à renúncia de Morales, avaliou antes do anúncio oficial que a candidatura de Áñez "não seria ética".

Os partidos têm prazo até o dia 2 de fevereiro para inscrever seus candidatos no Tribunal Supremo Eleitoral.

As eleições ocorrerão no dia 3 de maio, com eventual segundo turno em 14 de junho.

Notícias