PUBLICIDADE
Topo

EUA detectam primeiro caso de variante brasileira do novo coronavírus

25/01/2021 21h45

Washington, 26 Jan 2021 (AFP) - O primeiro caso de uma variante do novo coronavírus surgida recentemente no Brasil foi confirmado nos Estados Unidos, informaram autoridades sanitárias do estado de Minnesota nesta segunda-feira (25).

O Departamento de Saúde de Minnesota informou, em um comunicado, que "o Laboratório de Saúde Pública encontrou a variante do vírus SARS-CoV-2 conhecido como a variante P.1 do Brasil em uma amostra de um morador de Minnesota com histórico recente de viagem ao Brasil".

O paciente, morador da região do metrô de Twin Cities, de Minneapolis e Saint Paul, testou positivo para a covid-19 no começo de janeiro e foi aconselhado a se isolar, destacou o comunicado. Informações laboratoriais subsequentes revelaram que se tratava de uma infecção pela variante brasileira do coronavírus.

Este caso, assim como a descoberta de outros três casos da variante britânica em Minnesota nas últimas semanas, reforça "porque é tão importante limitar as viagens durante uma pandemia tanto quanto possível", informou, em um comunicado, a epidemiologista Ruth Lynfield.

Na segunda-feira, o presidente Joe Biden voltou a impor a proibição a viagens à maioria de cidadãos não americanos que tenham estado na Grã-Bretanha, Brasil, Irlanda e grande parte da Europa.

Biden também estendeu a proibição a viajantes que tenham estado recentemente na África do Sul em meio a alertas de que novas variantes da covid-19, mais transmissíveis já estavam se estabelecendo nos Estados Unidos.

Na semana passada, o presidente recém-empossado reforçou as regras de uso de máscaras e determinou a quarentena para pessoas que chegarem de avião aos Estados Unidos, enquanto tenta conter o agravamento da crise sanitária causada pela pandemia no país.

Mais de 25 milhões de casos de covid-19 foram registradas nos Estados Unidos desde que a pandemia começou, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins.

A marca foi alcançada apenas cinco dias depois de os Estados Unidos, o país mais atingido pela pandemia, terem registrado mais de 400 mil mortos pela doença.

to/bgs/mvv