PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Brasil vive dia de manifestações ultraconservadoras pró-Bolsonaro

15/05/2021 11h30

São Paulo, 15 Mai 2021 (AFP) - Caminhões de todo o país chegaram a Brasília neste sábado(15) para uma manifestação de apoio ao presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, que convocou mobilizações em várias capitais brasileiras em reação à sua perda de popularidade e às críticas por sua gestão da pandemia.

"Cristãos e ruralistas se unem em apoio ao presidente Bolsonaro" publicaram em suas redes sociais a chamada "Marcha da Família Cristã pela Liberdade", que promove a ação convocada em quase todas as capitais do país, que continua contando mais de 2.000 mortes por dia devido à covid-19.

O Brasil, com mais de 430 mil mortes pela pandemia, enfrenta dificuldades para adquirir as vacinas necessárias para imunizar sua população de 212 milhões de pessoas.

Bolsonaro, que minimizou a doença chamando-a de "gripezinha" e questionou a eficácia das vacinas, viu sua popularidade cair para o mínimo histórico de 24%, segundo pesquisa publicada esta semana pelo renomado instituto Datafolha.

A pesquisa, que coloca o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o favorito para vencer as eleições de 2022, foi divulgada enquanto uma comissão do Senado investiga sua gestão caótica da pandemia.

Bolsonaro reagiu desqualificando senadores e convocando manifestações para demonstrar força política.

Os seguidores de Bolsonaro começaram a se reunir cedo na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

"Vim apoiar o presidente. O que ele precisar, estamos aqui", disse Oscar Barbosa, caminhoneiro que viajou de Goiás (centro) a Brasília para participar da mobilização.

Alguns participantes exibiram cartazes contra o Supremo Tribunal Federal e o Congresso, instituições que têm servido de contrapeso à insistência do presidente Bolsonaro em resistir às medidas de quarentena para evitar a disseminação do coronavírus, decretadas por governadores e prefeitos.

O presidente anunciou que receberá seus seguidores às 15 horas.

Na maioria das capitais, as mobilizações da "Marcha da Família Cristã pela Liberdade" foram convocadas para a tarde.

Na Avenida Paulista, em São Paulo, vendedores informais chegaram cedo para vender bandeiras brasileiras, adotadas como símbolo pelo líder de extrema direita.

pr/jc