PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Putin elogia a frota russa, capaz de destruir 'qualquer alvo'

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, acompanhado pelo coronel-general Alexander Zhuravlev (esquerda), almirante Nikolai Yevmenov (centro) e ministro da defesa Sergei Shoigu (direita), na parada naval neste domingo (25 de julho) - Alexey Nikolsky/AFP
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, acompanhado pelo coronel-general Alexander Zhuravlev (esquerda), almirante Nikolai Yevmenov (centro) e ministro da defesa Sergei Shoigu (direita), na parada naval neste domingo (25 de julho) Imagem: Alexey Nikolsky/AFP

25/07/2021 08h07Atualizada em 25/07/2021 23h08

O presidente Vladimir Putin afirmou, neste domingo (25), que a frota russa é capaz de detectar e destruir "qualquer alvo", durante um grande desfile naval em São Petersburgo que ele compareceu.

Putin afirmou que a Rússia conquistou seu lugar entre as "principais potências marítimas do mundo" ao desenvolver "uma aviação naval eficaz de curto e longo alcance, sistemas de defesa costeira confiáveis e armas hipersônicas de última geração e alta precisão, que são incomparáveis no mundo e continuam a melhorar constantemente e com sucesso".

"Hoje, a frota russa tem tudo para defender a pátria e nossos interesses nacionais de forma infalível. Somos capazes de detectar qualquer alvo inimigo debaixo d'água, na superfície ou no ar e desferir um golpe letal, se necessário", declarou Putin em um discurso televisionado.

O discurso foi pronunciado à margem do desfile anual da frota russa no rio Neva, em São Petersburgo, a segunda maior cidade do país.

Em um contexto de fortes tensões com o Ocidente, Putin elogiou em várias ocasiões nos últimos anos as novas armas de seu país, que ele diz serem "invencíveis". Entre elas, o míssil hipersônico de nova geração Avangard, capaz de atingir velocidade de Mach 27 e mudar de curso e altitude, e o Zircon que voa em Mach 7 e foi testado com sucesso em julho.

Outras armas também estão em desenvolvimento, como o míssil hipersônico Kinjal para a Força Aérea e o míssil Burevestnik com propulsão nuclear. Os mais recentes sistemas de defesa aérea S-500, descritos como "incomparáveis no mundo", também foram testados com sucesso em 20 de julho.